BC mantém juros básicos da economia em 6,5% ao ano

Com a decisão, a Selic continua no menor nível desde 1986

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Banco Central mantém juros básicos da economia em 6,5% ao ano

Pela segunda vez seguida, o Banco Central (BC) não alterou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve nesta quarta-feira (20) a taxa Selic em 6,5% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros. Com a decisão, a Selic continua no menor nível desde o início da série histórica do Banco Central, em 1986. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Em outubro de 2016, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia até que a taxa chegasse a 6,5% ao ano em março deste ano.

As duas principais mudanças no comunicado ante o da decisão de maio estão na inclusão de um trecho comentando os possíveis efeitos da paralisação dos caminhoneiros e no final do texto, em que o BC retira a parte em que sinaliza a manutenção como passo adequada na reunião seguinte e deixa a porta aberta para uma possível mudança na próxima reunião.

O comunicado abordou a paralisação dos caminhoneiros, e reforçou que o impacto nos preços deve ser transitório, com a inflação ainda apontando para uma dinâmica controlada ao longo do ano: “O Comitê julga que, no curto prazo, a inflação deverá refletir os efeitos altistas significativos e temporários da paralisação no setor de transporte de cargas e de outros ajustes de preços relativos. As medidas de inflação subjacente ainda seguem em níveis baixos, inclusive os componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária”, relata o colegiado. 

“O Copom ressalta que os próximos passos da política monetária continuarão dependendo da evolução da atividade econômica, do balanço de riscos e das projeções e expectativas de inflação”, revela o documento. Em outras palavras, a instituição deixou a porta mais aberta para uma alteração na Selic em sua próxima reunião, entre os dias 31 de julho e 1 de agosto.

Na opinião de analistas da XP Investimentos, o BC tomou a decisão correta. “Não vemos por ora necessidade de uma alta da Selic ainda este ano e, a depender da reputação do próximo time no BC, não seria necessário uma alta já no início de 2019. As incertezas, no entanto, recomendam cautela, sendo que o discurso do BC não fechou as portas para altas”, destaca a análise enviada logo após o anúncio da manutenção da taxa. 


leia também

Banco Central mantém taxa básica de juros em 6,5% ao ano - A decisão surpreendeu o mercado, que esperava uma redução da Selic

BC mantém juros pela terceira vez seguida - A decisão era esperada pelos analistas financeiros

BC prefere não sinalizar próximos passos na definição da Selic - O Copom declara que acompanhará as diferentes formas de repasse da alta do dólar para a inflação

Com expectativa de inflação em 4,2%, corte na Selic pode ser interrompido - Ata do Copom ressalta, no entanto, que pode baixar juro na próxima reunião

Copom não indica rumos da Selic, mesmo com inflação em baixa - BC avaliou que a economia segue operando com alto nível de ociosidade dos fatores de produção

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: