FBV debate o impacto da tecnologia no consumo

João Appolinário, fundador da Polishop, abriu o evento

Por Dirceu Chirivino

dirceu@amanha.com.br

João Appolinário, fundador da Polishop, abriu a sexta edição da FBV

Um dos temas centrais da sexta edição da Feira Brasileira do Varejo (FBV), em Porto Alegre, será o impacto da tecnologia nas relações de consumo. O evento ocorre entre esta segunda (28) e quarta-feira (30), e terá em torno de 70 expositores.  Com o tema “O novo varejo é agora”, a FBV terá 40 palestras tratando de temas variados. Coube ao fundador e proprietário da Polishop, João Appolinário (foto), fazer a aula inaugural do evento que deve reunir cerca de 8 mil pessoas na capital gaúcha. 

Appolinário enfatiza que o empresário tem de conhecer os produtos com os quais está trabalhando. Dessa forma, poderá desenhar uma estratégia de comunicação capaz de atrair as atenções do mercado.  Ele citou o caso de um grill que foi lançado nos Estados Unidos e nunca emplacou. A Polishop estudou as suas características e o lançou no mercado nacional com o slogan “gordura sai, o sabor fica”. O equipamento foi bem aceito pelo consumidor e se mantém com bons níveis de vendas até hoje. “Você não pode ter medo de errar. É errando que se chega às boas ideias. As pessoas que trabalham comigo podem errar muitas vezes, mas têm de corrigir muito rápido”, contou.  Appolinário referiu também o caso das fritadeiras elétricas. Os produtos conviveram com certa rejeição no Brasil e foi preciso trabalhar a comunicação. Atualmente, os brasileiros são os maiores consumidores globais desse equipamento. “Comunicar, enfim, também é uma forma de inovar. E inovar é questionar o que já existe”, filosofa Appolinário. 

A Polishop começou oferecendo produtos via multicanal (TV, internet ou call center). Em seguida, a varejista abriu suas primeiras lojas físicas. Desde então a empresa se transformou no maior case omnichannel do varejo brasileiro.  São mais de 280 pontos de vendas distribuídos por todo o país. A companhia exibe cerca de 140 horas diárias de TV em canais abertos e por assinatura em seis canais próprios que funcionam 24 horas e cobrem todo o Brasil.  


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: