Greve já desabastece postos no Paraná e em Santa Catarina

Em Porto Alegre, ônibus vão operar com horários reduzido

Por Marisa Valério, de Curitiba (PR)

marisa.valerio@amanha.com.br

Greve já desabastece postos no Paraná e em Santa Catarina

A greve dos caminhoneiros faz estragos no transporte coletivo, no transporte individual e no abastecimento de combustíveis em Curitiba e nas maiores cidades do Paraná. A Urbs, empresa que gerencia a Rede Integrada de Transporte na Grande Curitiba, anunciou no fim da tarde a redução de 30% a 50% da frota de ônibus por causa do racionamento de diesel. Por enquanto, só a Linha Turismo foi suspensa. Porém, horas depois do anúncio, o prefeito da capital, Rafael Greca, desautorizou a Urbs, afirmando que manterá a frota normal nas ruas, enquanto tenta negociar com os grevistas o retorno do abastecimento dos veículos. 

Antecipando as dificuldades de locomoção da população, a 99POP avisou que os usuários terão direito a fazer sem pagar duas corridas de até R$ 15, nesta quinta-feira. A ação de marketing vai durar o dia todo para quem estiver cadastrado no aplicativo. Quem anda de carro, desde a manhã desta quarta-feira enfrentou grandes filas nos postos de combustíveis para abastecer e em alguns deles a corrida aos postos acelerou o esvaziamento de tanques. No meio da tarde, as placas de preços zeradas passaram a indicar que já não havia gasolina disponível para o consumidor.

Em Paranaguá, cidade portuária no litoral paranaense, o litro gasolina alcançou os R$ 6, segundo informações do Sindicato dos Empregados em Postos de Serviços de Combustíveis e Derivados de Petróleo e Lojas de Conveniências em Postos de Curitiba, Região Metropolitana e Litoral (Sinpospetro). O Sindicombustíveis, que representa os empresários do segmento, negou que haja risco iminente de desabastecimento ou disparada de preços em Curitiba, Londrina, Maringá e Foz do Iguaçu. “Caso o movimento continue se expandindo com o bloqueio de estradas, podem ocorrer situações pontuais de dificuldade no abastecimento por conta destas interdições”, afirmou o Sindicato, em nota. 

Em Londrina, na região norte do Paraná, pelos menos 25 denúncias de cobranças abusivas em postos de combustíveis foram feitas ao Procon local. A situação na cidade também é de postos com filas de consumidores temerosos do desabastecimento.  Na Tríplice Fronteira, já há sinais de dificuldades e a frota de ônibus de Foz do Iguaçu, a maior cidade da região, tem estoque de diesel para rodar até sexta-feira, dia 25. No fim de semana, deve haver rodízio nas linhas urbanas. O Ceasa vem recebendo apenas verduras folhosas, de produtores locais. Produtos como morango, batata e cenoura, que chegam de caminhão à cidade, já não são encontrados.

SC tem bloqueios
As principais estradas de Santa Catarina somaram dezenas de pontos de bloqueio até o começo da noite desta quarta-feira. Os protestos de caminhoneiros em greve afetam a mobilidade e a prestação de serviços essenciais em alguns municípios. Em todo o estado a previsão é de que o combustível comece a faltar imediatamente. Na Grande Florianópolis, os postos já não foram abastecidos hoje, segundo o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis Minerais de Florianópolis (Sindópolis), por causa de um bloqueio da SC-407, onde há manifestantes reunidos. Os caminhões com diesel e gasolina também não chegaram a Itajaí, no Litoral Norte.  Algumas prefeituras, como a de Criciúma, anunciaram que manterão máquinas pesadas e caminhões apenas em serviços essenciais. Os Correios também suspenderam a postagem de encomendas especiais da linha Sedex.

Situação no RS
Wellington Bacel, prefeito de Santa Vitória do Palmar (RS), declarou estado de calamidade pública na manhã desta quarta-feira (23) devido a falta de combustíveis no município. A prefeitura ainda determinou que todo o combustível existente na cidade seja considerado de utilidade pública para fins de desapropriação, devendo ser alocado em postos de combustíveis ou tanques de armazenamento na zona urbana ou rural do município. 

O transporte coletivo de Porto Alegre terá um atendimento emergencial nesta quinta-feira (24), em razão da falta de combustível pela greve dos caminhoneiros. Em reunião na tarde desta quarta-feira, ficou definida uma operação normal nos picos da manhã até 8h30, e também à tarde, das 17h às 19h30. Nos demais horários, as viagens serão de hora em hora. A forma de atendimento durante a noite será divulgada na tarde de quinta-feira. A decisão acontece para possibilitar a prestação do serviço por um maior número de dias possíveis nos horários de demanda mais intensa da população. As lotações funcionarão normalmente.


leia também

Agroindústrias do PR e de SC retomam atividades - BRF já tem plantas funcionando. Armazenadoras de grãos do PR também

ANP: política de preços continuará sendo livre - Afirmação foi feita por Décio Oddone, diretor-geral da agência

Cade propõe medidas para reduzir preço do combustível - Sugestões envolvem questões regulatórias e tributárias

Cade: tabelar frete pode levar à formação de cartel - A fixação dos preços foi uma reivindicação dos caminhoneiros

Celulose Riograndense suspende produção em Guaíba - Perda é estimada em 6 mil toneladas de celulose ao dia

Ciergs entra com ação pedindo fim de bloqueio das estradas - Centro das Indústrias vê danos à economia e à população

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: