A oportunidade também faz o bom cidadão

Agora que a corrupção está tão em evidência, é bom refletir como sua empresa tem atuado em relação ao assunto

Por Bernt Entschev

Agora que a corrupção está tão em evidência, é bom refletir como sua empresa tem atuado em relação ao assunto

A avalanche de corrupção vem causando um movimento que até pouco tempo não era uma preocupação empresarial: a de criar dispositivos que possam barrar desvios de conduta dos funcionários. Tanto é que as organizações comprometidas com a ética já implantaram os seus sistemas de compliance para tratar da delicada relação com agentes públicos. É aí que acontecem muitos dos escândalos que estamos habituados a ler diariamente nos jornais. Mas não nos esqueçamos: empresas e órgãos públicos são formados por pessoas. Portanto, são elas que precisam ser sensibilizadas sobre tão delicado assunto.

Porém, muitos dos envolvidos em casos de corrupção acreditam que o que fizeram é uma prática natural e que todo mundo faz. Mas não é bem assim. Corromper-se é uma maneira que o indivíduo encontra para se apropriar de algo que não é dele. E ponto final. Hoje, felizmente, o mundo empresarial também está mais atento com as chamadas ‘”pequenas corrupções”. E os gestores já se deram conta que corrupção é sinônimo de prejuízo na certa. Não sem razão que os países nórdicos têm os melhores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do mundo, pois também são as nações menos corrompidas. Consequência de uma população que não pratica nem as “grandes” e nem “as pequenas” corrupções. 

Agora que a palavra está tão em evidência, é bom refletir como sua empresa tem atuado em relação ao assunto. Um bom hábito é não se apropriar de objetos ou valores que pertencem a outra pessoa. Se o dito popular afirma que a “oportunidade faz o ladrão”, é certo assegurar que a mesma oportunidade também faz o bom cidadão. 


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: