Venda de ações do Banrisul será analisada pela CVM

Um investidor questionou as operações feitas pelo controlador

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Venda de ações do Banrisul será analisada pela CVM

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM), órgão que fiscaliza o mercado de capitais brasileiro, abriu processo para apurar as vendas de ações do Banrisul. Detidas pelo governo gaúcho, as operações foram feitas nos dias 10 e 27 de abril. Com isso, o Piratini arrecadou R$ 532 milhões. O caso foi aberto, pois um investidor questionou as operações.  

O Sindicato dos Bancário de Porto Alegre (SindBancários) alega falta de transparência na negociação. A entidade afirma, por exemplo, que não foram publicados fatos relevantes pelo banco ou mesmo comunicação formal nas duas movimentações. O Ministério Público de Contas (MPC),  Tribunal de Contas do Estado (TCE) e o Ministério Público do Estado (MPE) receberam representações do SindBancários pedindo análises dos casos.

O governo gaúcho reafirmou que as operações de venda de ações do Banrisul foram conduzidas de modo transparente e obedecendo, com absoluta rigidez, a todas as regras determinadas pela CVM e a legislação aplicável. Por meio de nota, o Piratini reiterou que os resultados da venda das ações preservam o interesse público do Rio Grande do Sul e consolidam a posição do banco no mercado.

"Assim como ocorreu até aqui, o governo do Estado continuará observando todas as regras técnicas e fornecendo todas as informações necessárias aos órgãos de controle. O governo seguirá buscando o equilíbrio financeiro do Estado e preservando, na condição de acionista majoritário, o papel econômico-social exercido pelo Banrisul", finaliza o comunicado.


leia também

Venda de papéis do Banrisul rende R$ 484,9 milhões - A operação foi conduzida pelo BTG Pactual

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: