Superdrone Eleva mira agricultura de precisão

Aparelho é a primeira incursão no agronegócio do Grupo Positivo

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Superdrone Eleva é a primeira incursão no agronegócio do Grupo Positivo

Na esteira do sucesso da Agrishow 2018, a Eleva atraiu grande interesse e contabilizou centenas de contatos, de diversas regiões do país e até do exterior, a fim de firmar parcerias e negócios dentro do mercado agrícola. O protótipo da startup que desenvolve, fabrica e passa a comercializar soluções para o mercado aeronáutico, em especial VANTs – veículos aéreos não tripulados –, é o superdrone Eleva Spray 150 (foto). O aparelho pesa 150 quilos e tem capacidade de estocar até 80 litros de insumo por operação de pulverização de lavouras, com desempenho para aplicação de, ao menos, 20 hectares por hora, durante as 24 horas do dia. 

O projeto de agricultura de precisão está sob o comando dos fundadores da Eleva, Celso Faria de Souza, Luciano Castro e Norberto Maraschin Filho, oriundos do ITA, que viram no mercado de VANTs a oportunidade de empreender.  O projeto é financiado com verba de Pesquisa & Desenvolvimento na Zona Franca de Manaus e realizado em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT), sob a supervisão da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). O Eleva é a primeira incursão no agronegócio do Grupo Positivo, holding paranaense com investimentos no setor de ensino, gráfica, entretenimento e na produção de computadores, tablets e celulares. 

“Interagimos com dezenas de potenciais investidores. Agora, após a feira, a Eleva se lança no mercado em busca de uma nova rodada de investimentos para conversão do protótipo num produto comercializável, para industrialização e comercialização do Eleva Spray, além de focar em buscar as certificações necessárias para operação, como de Anac e Anatel”, destaca o diretor-executivo da Eleva, Luciano Castro. O intuito da Eleva é entrar em diversos segmentos de negócio em um futuro breve, adaptando o VANT para além da agricultura, com missões relacionadas à segurança pública e à inspeção de linhas de transmissão de energia, por exemplo. 

O superdrone
Medindo cinco metros de largura e com barra de pulverização de seis metros, o superdrone Eleva Spray 150 está em processo de desenvolvimento final para comercialização a partir de 2019 no Brasil e em mercados globais com características semelhantes às grandes áreas de produção rural, como os Estados Unidos, Argentina e Austrália. “Uma vantagem da Eleva é que a legislação brasileira para uso de VANTs é baseada na europeia, que é a mais restritiva mundialmente. Portanto, as certificações no Brasil vão garantir que o equipamento esteja preparado para passar nos testes no exterior também. Essa é a principal premissa para ganharmos escala com agilidade”, comenta o diretor técnico da Eleva, Celso Faria de Souza. 

O sistema é composto, basicamente, pelo VANT e estação de controle, a GS – Ground Station, além de pessoal técnico responsável pela operação em dois modos: pilotagem manual e automatizada. Dentre os atributos que diferenciam o Eleva Spray 150 está a possibilidade de o equipamento ser utilizado à noite, quando algumas condições estão mais favoráveis à pulverização: maior umidade, menor temperatura, menos ventos e maior facilidade da planta em absorver os defensivos sistêmicos, entre outros. Adicionalmente, há diversas pragas com comportamento noturno, tornando este tipo de pulverização mais efetiva e menos danosa à natureza e animais, como as abelhas. Junto com a operação no Baixo Volume (BV) ou Ultra Baixo Volume (UBV) e o efeito downwash, que impulsiona para baixo os defensivos, há enormes possibilidades de economia de insumos, gerando ganhos estratégicos para o agricultor, além de mais segurança operacional.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: