Enoturismo ganha corpo no Paraná

Quase 7 mil turistas visitaram as vinícolas localizadas no entorno de Curitiba no ano passado

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

Quase 7 mil turistas visitaram as vinícolas localizadas no entorno de Curitiba em 2017

O frio em Curitiba é um forte atrativo para turistas que pretendem viver experiências próprias da estação, como curtir a boa gastronomia. Porém, para quem quer fugir do roteiro tradicional, aproveitar o enoturismo oferecido pela Região Metropolitan pode ser uma boa alternativa. O entorno da capital paranaense reúne ao menos 13 vinícolas – todas fazem parte da Associação dos Vitivinicultores do Paraná (Vinopar), entidade criada em 2016. A associação se propõe a trabalhar para o desenvolvimento da vitivinicultura de qualidade no Paraná, bem como atividades complementares como o enoturismo, a otimização de resultados coletivos em compras, participação coletiva em feiras e eventos, entre outros.  Das 13 vinícolas, oito estão atuando no enoturismo (na foto, restaurante Colina Cave de Pedra). 

“Ainda em 2016 foi lançado um mapa temático do enoturismo, com os dados necessários para que um turista se locomova com tranquilidade pela região, que é muito bem servida de infraestrutura de acesso”, destaca Grazielle Ueno Maccoppi, coordenadora do curso de Gestão de Turismo do Centro Universitário Internacional Uninter. “Hoje a região oferece ampla gama de atividades – desde colheitas no período da vindima, até piquenique nos vinhedos, visita a um túnel imperial onde maturam espumantes feitos pelo método champennoise, restaurantes com especialidades regionais, enogastronomia, entre outras”, completa Vander Valduga, coordenador técnico responsável pelo grupo de pesquisa de Enoturismo do Programa de Pós-graduação de Turismo da Universidade Federal do Paraná (UFPR). 

O enoturismo deve avançar a passos largos no entorno de Curitiba. Tanto é que existe uma serie de pesquisas estão complementando a proposta da Vinopar, a maior parte deles desenvolvidas pelo curso de Turismo e mestrado em Turismo da UFPR. “Um desses estudos resultou na apresentação na Chaire Unesco Culture et Traditions du Vin, na Borgonha. Foi o caso da vinícola Colinas de Pedra, que revitalizou o patrimônio industrial ferroviário para se especializar na maturação de espumantes num túnel de granito a 65 metros de profundidade na Serra do Mar. Trata-se de um caso emblemático e único na América Latina”, conta Valduga. Além disso, o enoturismo foi incluído como uma das atividades prioritárias no planejamento turístico do Paraná 2026, com aporte estatal e de parcerias público-privadas. O pesquisador Enrique Torres, da UFPR, em parceria com a Universidad de Málaga, desenvolveu um diagnóstico detalhado da enogastronomia na Região Metropolitana de Curitiba. 

No último ano, quase 7 mil turistas movimentaram as vinícolas da Vinopar, vindos, principalmente, de São Paulo, de Santa Catarina, de Minas Gerais e do próprio Paraná. Segundo os especialistas ouvidos pelo Cepas & Cifras, comparativamente a outras regiões brasileiras consolidadas, a Vinopar se encontra na fase de implantação do enoturismo.  Porém, algumas vinícolas já oferecem estrutura para receber visitantes. Muitas delas ainda compram uvas finas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Duas sócias da Vinopar, no entanto, contam com produção local: a Legado e a Araucária, com destaque para as variedades Cabernet Franc, Fiano, Pinot Noir, Chardonnay, Viognier, Nebiolo, mas com experimentos de mais de 20 variedades diferentes. Dentre os rótulos representativos, vale a pena degustar os produtos da Araucária (feito com a Cabernet Franc), da Legado (produzido com a Fiano) e da Família Fardo (onde a Malvasia de Cândia é a casta principal).

Roteiro
Atendendo um pedido do Cepas & Cifras, Grazielle selecionou cinco vinícolas onde é possível desfrutar e conhecer um pouco mais sobre o enoturismo paranaense. Todas trabalham com reservas antecipadas. Confira a seguir. 

Cave Colinas de Pedra. Localizada em Piraquara, a 30 quilômetros do centro de Curitiba, oferece visitas e degustação em um túnel desativado da Estrada de Ferro. No local, são mantidas mais de 10 mil garrafas de vinhos espumantes vindos do Rio Grande do Sul para maturação. Além do passeio, o local oferece almoço nos sábados e domingos dentro de uma antiga estação de trem.

Vinícola Araucária. Fica em São José dos Pinhais, a 40 km do centro de Curitiba. Vale a pena fazer uma das visitas guiadas com o acompanhamento de um enólogo, que apresenta as fases da produção do vinho, desde o cultivo até as diferentes etapas de vinificação, encerrando com a degustação dos rótulos produzidos. Ainda é possível almoçar e colocar em prática os conhecimentos adquiridos na visita.

Vinícola Família Fardo. Localizada em Quatro Barras, a 30 quilômetros do centro de Curitiba, a família organiza visitas pela estrutura local, para conhecer a história da vinícola, os equipamentos, os processos de produção da bebida, finalizando com a prova do produto. 

Vinícola Franco Italiano. Em Colombo, a 16 quilômetros do centro de Curitiba, oferece a oportunidade de visitar a vinícola e serve almoço nos finais de semana. Possui regularmente cursos específicos para os mais interessados.

Vinícola Legado. Em Bateias, a 30,5 quilômetros do centro de Curitiba, é possível fazer tour guiado pela vinícola, que produz espumantes, vinhos e suco de uva. Os visitantes também têm a oportunidade de fazer piquenique em meio às vinhas.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: