Confiança do empresário recua após oito meses de alta

Ritmo de recuperação da economia está mais lento

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Confiança do empresário recua após oito meses de alta

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) ficou em 56,7 pontos em abril, um recuo de 2,3 pontos em relação a março. A queda é a primeira em oito meses, após seis meses de crescimento a partir de agosto de 2017 e dois meses de estabilidade.  "O resultado de abril acende o sinal amarelo e indica revisão das expectativas dos empresários devido ao ritmo de recuperação da economia, que está mais lento do que o previsto no fim do ano passado", avalia Marcelo Azevedo, economista da CNI, em nota divulgada pela confederação.

No cálculo do índice, valores abaixo de 50 pontos indicam falta de confiança do empresário. Quanto mais acima de 50 pontos, maior e mais disseminada é a confiança. Desta forma, apesar de ter apresentado queda, o ICEI está ainda acima dos 50 pontos e 2,5 pontos acima da média histórica, que é 54,2 pontos. O índice apresenta também crescimento de 3,6 pontos em relação a abril de 2017, quando ficou em 53,1 pontos.  

Componentes
De acordo com a CNI, a queda do ICEI em abril é explicada pela queda dos dois indicadores que o compõem. O índice de condições atuais, que avalia as condições correntes dos negócios, recuou 2 pontos, alcançando 51,5 pontos. O índice de Expectativas também caiu, 2,3 pontos, atingindo 59,4 pontos. Ambos permanecem, no entanto, acima da linha divisória dos 50 pontos, indicando, segundo o estudo que ainda há uma percepção de melhora dos negócios, mesmo que menos significativa que no mês passado, e que há perspectivas positivas para os próximos seis meses.  


leia também

Brasileiro está menos pessimista com economia - O indicador ainda é insuficiente para estimular o consumo

Confiança do empresário atinge maior nível desde 2012 - Melhores condições de negócios pesaram no índice em dezembro

Confiança do industrial atinge maior índice desde 2011 - Melhora aponta tendência das empresas em investir mais

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: