Qual a idade ideal para assumir um cargo de gestão?

O gestor direto precisa avaliar se o jovem profissional tem potencial

Por Bernt Entschev

O gestor direto precisa avaliar se o jovem profissional tem potencial

Nos últimos dias um caso ocorrido no Ministério do Trabalho brasileiro causou bastante repercussão na mídia e nas redes sociais. A contratação de um jovem de 19 anos feita pela pasta para controlar importantes contratos abriu inúmeros questionamentos, pois o “garotão” (como ficou conhecido o profissional) teria entre suas responsabilidades a administração de mais de R$ 470 milhões anuais. 

Detalhe: o rapaz não tinha experiência alguma em gestão que justificasse a contratação. Logo nos primeiros dias, ele assinou a liberação de uma verba extraordinária de R$ 23 milhões a uma empresa. Dias depois, foi desligado da função tendo em vista toda polêmica. 

Enfim, o que esse caso se relaciona com a gestão de pessoas e carreiras? Depende muito do contexto da companhia e de sua cultura. É fato que um jovem, por mais preparado que ele possa estar para assumir um importante cargo, lhe falta ainda a experiência e maturidade. E isso não vem do dia para a noite, pois é um processo, uma construção feita ao longo do tempo e de horas trabalhando em determinada carreira. Geralmente, falta a esse jovem a vivência em assuntos e o traquejo para lidar com situações embaraçosas. Posso afirmar isso porque quando jovem assumi uma importante função e a falta de experiência me colocou em um cenário ainda mais desafiador. Anos depois percebi que poderia ter feito tudo diferente. 

Mas como lidar com isso dentro das organizações? Antes de elevar o cargo de uma pessoa, o gestor direto precisa avaliar se esse jovem profissional tem potencial. Deve ainda levar em conta o seu desempenho, seja internamente, ou expresso no currículo e, após entregue o desafio, dar todo o apoio para que essa pessoa possa desempenhar a função com propriedade. As empresas que preferem dar oportunidades para jovens executivos geralmente são de cultura americana, onde é fácil encontrar gestores na faixa de 25 a 35 anos. O setor de tecnologia é um grande empregador de perfis como esses. Já as companhias europeias têm na experiência o principal foco na contratação de líderes e a idade para essas funções tem uma média acima dos 40 anos. Já as asiáticas e orientais preferem os executivos mais velhos. Inclusive já tive demanda de pedidos para buscar perfis acima de 50 anos. 

A questão é buscar errar o menos possível no momento de selecionar. Juntar experiência, vivência e resultados aliados ao perfil comportamental é a forma ideal. E isso vale para qualquer idade. Para os jovens que queiram assumir, o agravante é ainda não ter vivido o suficiente para ter um respaldo no momento de tomar decisões difíceis. Para estes indico que usem da humildade para o êxito. Não deixe o poder tomar conta.  Aprenda com os mais velhos, compartilhe informações e ensine quem está chegando. E se errar, admita e aprenda com o ocorrido. Essa é a melhor forma de amadurecer.  


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: