PIB do Paraná cresceu 2,5% em 2017

O resultado foi puxado pela agropecuária, que avançou 11,5%

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Economia do Paraná cresceu 2,5% em 2017. O resultado no ano foi puxado pela agropecuária, que cresceu 11,5% em relação a 2016

A economia do Paraná fechou 2017 com crescimento de 2,5%, de acordo com dados do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), divulgados nesta sexta-feira (9). O desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) foi mais que o dobro da média brasileira. Segundo o IBGE, que divulgou o resultado nacional há nove dias, a economia do Brasil cresceu 1% em 2017. O Estado encerrou 2017 com um PIB de R$ 415,8 bilhões, o equivalente a 6,35% da economia nacional. Em 2010, o Paraná detinha 5,8% de participação.

O diretor-presidente do Ipardes, Julio Suzuki Junior, ressalta que o desempenho do ano passado configura a recuperação da economia do Estado, após dois anos de retração. “Com isso podemos dizer que não estamos mais em recessão”, afirma. O resultado no ano foi puxado pela agropecuária, que cresceu 11,5% em relação a 2016, graças à safra recorde e as elevadas produções de soja, milho, café, feijão e fumo.

Outro fator positivo veio da indústria, que depois de encolher na crise econômica, voltou a crescer. Em 2017, a atividade industrial teve expansão de 1,8%, graças aos bons desempenhos dos ramos de máquinas e equipamentos, material de transporte e autopeças. O setor de serviços registrou alta de 1,5%, influenciado pelo resultado do comércio e do ramo de alojamento e alimentação. Os setores que não foram tão bem em 2017 foram a construção civil, influenciada pela redução do programa Minha Casa, Minha Vida, e a produção de energia elétrica, afetada por questões climáticas.

O setor de serviços fechou 2017 com um PIB de R$ 237,3 bilhões, a indústria com R$ 92,8 bilhões e a agropecuária com R$ 35,9 bilhões. A renda per capita em 2017 no Estado chegou a R$ 36.728 – 16,3% superior a do Brasil (R$ 31.590). A renda per capita cresceu bastante nos últimos sete anos. Em 2010, era de R$ 21.572 contra R$ 20.372 do Brasil.

Na avaliação do presidente do Ipardes, o comportamento da atividade econômica no quarto trimestre deve se repetir ao longo de 2018. “Esse deve ser o desenho para esse ano, com uma retomada mais forte da indústria e dos serviços. Por outro lado, com a previsão de safra menor, a contribuição da agropecuária também deve se reduzir. Deveremos ter um ano, em termos de crescimento, similar ao de 2017”, projeta Suzuki Junior. 

leia também

Banco Central projeta crescimento do PIB em 2,6% no próximo ano - Para os investimentos, a expectativa de alta é de 3%, com a melhora esperada para o setor de construção civil

BC eleva projeção de crescimento do PIB para 0,7% - A estimativa da inflação também foi revisada para baixo

Economia brasileira deverá crescer 3% em 2019 - Proposta da LDO prevê inflação de 4,2%

Fazenda eleva projeção do PIB para 3% no próximo ano - Diferença entre aprovar ou não a Previdência é de 0,45 ponto percentual

Governo reduz estimativa de crescimento para 2,5% - Projeção anterior previa que o PIB avançaria 3%

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: