Produção industrial cai 2,4% em janeiro

Segundo o IBGE, a queda teve um perfil generalizado

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Produção industrial cai 2,4% em janeiro, anuncia IBGE

A produção industrial brasileira caiu 2,4% em janeiro deste ano, na comparação com dezembro. Os dados da Pesquisa Industrial Mensal foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A queda registrada foi a maior desde fevereiro de 2016 e interrompeu uma sequência de resultados positivos que já somava quatro meses. Nesse quadrimestre, o crescimento havia sido de 4,3%.

Em relação a janeiro de 2017, a produção industrial cresceu 5,7%. A variação positiva foi a nona consecutiva na comparação de um resultado mensal com o mesmo mês do ano anterior. Nos últimos 12 meses, a produção industrial brasileira acumula um crescimento de 2,8%. A queda da indústria em relação a dezembro foi registrada entre os bens de capital (-0,3%), intermediários (-2,4%) e de consumo duráveis (-7,1%). Os semiduráveis e não duráveis tiveram variação positiva de 0,5%.

Segundo o IBGE, a queda teve um perfil generalizado, porque além de abranger essas três categorias econômicas, também se espalhou por 19 dos 24 ramos da indústria. A principal influência negativa no resultado global foi verificada na indústria de veículos automotores, reboques e carrocerias (-7,6%). Também tiveram peso no resultado os setores de metalurgia (-4,1%), de produtos de borracha e de material plástico (-5,4%) e de produtos alimentícios (-1,1%). Entre os ramos que mais aumentaram a produção, destacam-se o de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (21%), a indústria extrativa (2,2%) e a de bebidas (5%).

A comparação do resultado de janeiro de 2018 com o mesmo mês de 2017 mostra que houve crescimento em 20 dos 26 ramos. Nesse cenário, a indústria de veículos automotores, reboques e carrocerias tem posição inversa e passa a exercer a principal influência positiva, com crescimento de 27,4%. Frente ao primeiro mês de 2017, janeiro de 2018 também registrou crescimento em todas as categorias econômicas. A indústria de bens de capital cresceu 18,3% e a de bens de consumo duráveis, 20%.

A categoria de bens de consumo duráveis cresceu com o aumento na produção de automóveis (17,3%) e de eletrodomésticos da linha marrom (50,4%). A de bens intermediários (4,2%) e a de bens de consumo semi e não duráveis (3%) também cresceram, mas abaixo da média global de 5,7% de expansão.


leia também

Fabricação de veículos contribui para alta da produção industrial - De acordo com dados do IBGE, índice fechou o terceiro trimestre com crescimento de 1,6%

Indústria do Sul cresce acima da média nacional em junho - Paraná obteve melhor desempenho, seguido pelo RS

Indústria do Sul sofreu mais que a do Brasil com a greve - O PR foi o mais atingido pela paralisação, seguido por SC e RS

Indústria fecha bimestre com crescimento de 4,3% - O acumulado nos últimos 12 meses avançou 3%

Produção industrial avança 3,3% no Paraná em fevereiro - Índice teve alta de 0,9% em Santa Catarina

Produção industrial avança 5,1% no Paraná - Até setembro, alta foi de 3,6% em SC e de 0,9% no RS

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: