Mercado financeiro reduz projeção de inflação para 3,84% neste ano

Projeção segue abaixo do centro da meta de 4,5%, mas acima do limite inferior de 3%

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Mercado reduz projeção de inflação para 3,84% neste ano, anuncia Banco Central

O mercado financeiro reduziu pela segunda semana seguida a projeção para a inflação neste ano. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 3,94% para 3,84%, de acordo com o boletim Focus, publicação semanal do Banco Central (BC) sobre os principais indicadores econômicos. A projeção segue abaixo do centro da meta de 4,5%, mas acima do limite inferior de 3%. Para 2019, a estimativa para a inflação está no centro da meta, em 4,25%.

De acordo com a previsão das instituições financeiras, a Selic encerrará 2018 no atual patamar e subirá ao longo de 2019, encerrando o período em 8% ao ano. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, permanece em 2,7%, neste ano, e em 3%, em 2019. A projeção para a cotação do dólar ao final de 2018 segue em R$ 3,30. Para o fim de 2019, a projeção passou de R$ 3,40 para R$ 3,39. A instituições financeiras também projetam que a dívida líquida do setor público deve encerrar 2018 em 55,5% do PIB. Para o fim de 2019, a projeção é 57,9% do PIB.


leia também

Estimativa do mercado para inflação sobe para 4,15% - A previsão para o PIB foi ajustada de 1,5% para 1,49%

Focus: estimativa de inflação cai pela quinta vez - A projeção para o IPCA passou de 2,83% para 2,78%

Focus: estimativa para inflação tem ligeira alta - Mercado ajustou a projeção do IPCA de 2,95% para 2,98%

Mercado aumenta estimativa de inflação para 3,5% - Agentes econômicos reduziram a projeção para o PIB

Mercado aumenta estimativa de inflação para 4,03% - A projeção para a expansão do PIB permaneceu em 1,55%

Mercado aumenta projeção para a inflação pela oitava vez - A estimativa para a expansão do PIB caiu de 1,55% para 1,53%

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: