Comércio varejista fecha 2017 com alta de 2% no volume de vendas

O setor de móveis e eletrodomésticos foi o que mais contribuiu para o resultado no ano

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Comércio varejista fecha 2017 com alta de 2% no volume de vendas

O volume de vendas do comércio varejista brasileiro teve aumento de 2% em 2017, na comparação com o ano anterior. O dado, da Pesquisa Mensal do Comércio, foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A alta veio depois de duas quedas consecutivas: em 2015 (-4,3%) e em 2016 (-6,2%).

Três dos oito segmentos pesquisados pelo IBGE fecharam o ano em alta, com destaque para móveis e eletrodomésticos (9,5%) e para tecidos, vestuário e calçados (7,6%). Também tiveram crescimento os setores de artigos farmacêuticos, médicos e perfumaria (2,5%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,1%) e supermercados e produtos alimentícios (1,4%). Por outro lado, três segmentos tiveram queda em 2017: combustíveis e lubrificantes (-3,3%), livros, jornais, revistas e papelaria (-4,2%) e equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-3,1%).

Analisando-se o varejo ampliado, que inclui também os segmentos de veículos e peças e de materiais de construção, a alta chegou a 4%. Os materiais de construção tiveram avanço de 9,2%, enquanto os veículos, peças e partes cresceram 2,7% no ano. Na comparação de dezembro de 2017 com o mesmo mês de 2016, o volume de vendas do varejo cresceu 3,3%, enquanto o do varejo ampliado avançou 6,4%. Na comparação de dezembro com novembro de 2017, no entanto, houve quedas de 1,5% no varejo e de 0,8% no varejo ampliado.


leia também

CNC prevê queda de 0,5% nas vendas neste ano - Setor de serviços vê dificuldade para retomada

Comércio tem queda de 0,9% em outubro - Recuo ocorreu depois de uma alta de 0,3%

Vendas do comércio crescem 0,5%, revela IBGE - Em 12 meses, volume apresenta queda acumulada de 0,6%

Vendas do comércio varejista caem 0,5% - Porém, indicador acumula alta de 0,7% no ano

Volume de vendas no varejo recua 0,3% de maio para junho - A queda foi provocada pelos supermercados e produtos alimentícios

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: