Bolsa: pode ser a hora de comprar

Wagner Caetano, trader que antecipou queda do Ibovespa, vê reversão

Por Infomoney

Bolsa: pode ser a hora de comprar

A derrocada do Ibovespa iniciada no começo da semana passada parece ter encontrado um freio no pregão de quarta-feira (27), quando o índice encerrou em alta de 1,13%, a 54.236 pontos, em uma forte recuperação diária depois de ter tocado os 53.135 pontos no patamar mínimo da sessão. Um respiro que ocorreu após ter atingido seus alvos de curto prazo entre 53.290 e 53.510, como previu o investidor profissional Wagner Caetano, diretor da Top Traders e do Terminal Cartezyan.

Para ele, o gráfico do Ibovespa mostra um candle de reversão, conhecido na análise técnica como martelo, com fechamento quase na máxima da sessão. "Se a máxima do martelo for rompida (54.292 pontos), teremos um fundo confirmado capaz de jogar o mercado pelo menos em 54.960 pontos, onde decide se é apenas um repique ou reversão", disse. Ele alerta, no entanto, que, se fraquejar e perder os 53.510 pontos, mesmo que em um movimento intradiário, dificilmente o Ibovespa deixará de cair até os 52.460 pontos. "A palavra de ordem agora é oportunidade, mas com muita cautela", comenta, lembrando que o movimento de alta do índice ontem foi puxado principalmente pelos bancos, que foram fortemente penalizados nas últimas sessões, e Petrobras (PETR3; PETR4).

Isto é, podemos até falar que os ativos dos bancos também marcaram um fundo na quarta-feira, sessão que marcou a segunda alta desses ativos em oito sessões, que, caso também seja revertido em uma tendência de alta de curto prazo, pode ajudar a impulsionar o índice. Mas, para isso, eles teriam de fechar acima das máximas de quarta-feira. "Caso contrário, será voo de galinha e a baixa continua", lembra Caetano. Os ativos dos bancos seriam Itaú Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC3; BBDC4) e Banco do Brasil (BBAS3). Entretanto, qualquer driver que traga aversão ao risco detonarão as vendas de novo. Caetano comenta ainda que o investidor deve estar atento ao ajuste fiscal no cenário interno, pedidos de auxílio desemprego nos Estados Unidos, além dos desdobramentos da negociação grega com credores.



leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: