SCGÁS: inovação e energia para todos

A empresa contou com o apoio de diversas entidades catarinenses

Da Redação

redacao@amanha.com.br

SCGÁS: inovação e energia para todos

O trecho a seguir faz parte do livro “Santa Catarina – Grandes Marcas”, publicado pelo Instituto AMANHÃ.

A história da SCGÁS – Companhia de Gás de Santa Catarina – começou muito antes da sua criação oficial e contou com o apoio fundamental de diversas entidades catarinenses. À frente das iniciativas, em uma campanha pró gás natural, o governo instituiu um grupo de trabalho para oficializar a entrada do combustível na matriz energética do Estado. Mas o debate para a utilização do insumo ganhou força em 1989, com o avanço das negociações e com o início das obras do Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol). Inicialmente, o projeto contemplaria somente a região de Santa Cruz de La Sierra até São Paulo. Mas a mobilização do governo e dos industriais catarinenses e paranaenses fez o projeto se estender até a região Sul do país.

Decidir pela extensão da malha de distribuição do gás natural não diminuiu as dificuldades que estavam postas. A maior delas – viabilizar a infraestrutura para o fornecimento – foi resolvida com o surgimento da Infragás, empresa concebida pelo setor industrial, composto pelos maiores clientes de gás natural, para acompanhar as questões de logística e disponibilidade do combustível. Em 1993, a SCGÁS passou de sonho a realidade, com a autorização do governo federal para a constituição de uma sociedade de economia mista voltada à distribuição local do gás canalizado. Foi em 25 de fevereiro de 1994, em assembleia constituinte, que a Companhia de Gás de Santa Catarina foi criada oficialmente. O fornecimento do gás começou seis anos após a criação da empresa, em 2000.

Os anos iniciais serviram para a estruturação da companhia, desde a formação da equipe às obras de implantação da rede – que começou a ser construída antes mesmo da entrega do Gasbol em Santa Catarina. Assim, os primeiros clientes tiveram abastecimento garantido logo após a conclusão do gasoduto, no início dos anos 2000. A SCGÁS deteve-se à operação de distribuição do energético para nove pontos situados nas regiões Norte catarinense, Vale do Itajaí, Grande Florianópolis e Sul catarinense. O atendimento seguiu a lógica mais comum nesse tipo de concessão: inicialmente, optando pelo fornecimento às regiões mais desenvolvidas no segmento industrial e pelas indústrias de alto consumo – estratégia que viabilizou os primeiros investimentos.

A chegada do terceiro milênio simbolizou a consolidação das operações da SCGÁS. O avanço é justificado pela atratividade do gás natural como fonte energética, por seus inúmeros diferenciais competitivos oferecidos a cada público consumidor – eficiência, segurança, versatilidade e responsabilidade ambiental. 


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: