Agiplan terá biometria facial para transações financeiras

Ferramenta eleva segurança ao contratar serviços do banco

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Agiplan anuncia biometria facial para transações financeiras, afirma Marciano Testa

O Banco Agiplan lança mais um novo recurso. Trata-se da Biometria Facial, ferramenta que eleva a segurança no momento da contratação de produtos da instituição financeira. O processo é simples: o cliente tem uma foto capturada para posterior verificação em um banco de imagens. Em questão de segundos, o rosto é escaneado, a foto é analisada e comparada, e o resultado dessa comparação autoriza ou não a transação. "Uma vez que o cliente tem seu cadastro concluído no sistema, a possibilidade de outra pessoa se passar por ele é mínima" assegura Marines Bilhar, diretora do Banco Agiplan. A comodidade para quem opera a tecnologia também é destaque, já que basta uma câmera simples para implementá-la, sem necessidade de investimentos em nenhuma outra aparelhagem específica. 

No final de outubro, o Banco Agiplan havia anunciado que aplicará R$ 750 milhões em tecnologia e inovação nos próximos três anos a partir de janeiro. O aporte não considera ampliação da rede física. O banco deve contratar 800 pessoas até o final de 2018. Marciano Testa (foto), presidente do banco, já havia adiantado o lançamento da novidade para a revista AMANHÃ. “Os clientes poderão abrir a conta e movimentá-la totalmente através do smartphone”, adiantou Testa na edição que trouxe os resultados das Campeãs de Inovação, pesquisa pioneira no Brasil que passou a adotar o Innovation Management Index, ferramenta da metodologia do Global Innovation Management Institute (Gimi) aplicada pelo IXL-Center, de Cambridge, região metropolitana de Boston (EUA).

O Banco Agiplan faz parte de um grupo empresarial com quase 20 anos de existência e atuação em todo o país. Conta com 3 mil funcionários, quase 500 pontos de atendimento em todos os estados brasileiros e disponibiliza para mais de 1,5 milhão de clientes serviços como crédito, conta corrente, investimentos, consórcios, seguros e meios de pagamento. Com um patrimônio líquido do grupo próximo a R$ 400 milhões e mais de R$ 1,5 bilhão de ativos, projeta superar mais de R$ 1 bilhão de receita neste ano. 


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: