Fazenda eleva projeção do PIB para 3% no próximo ano

Diferença entre aprovar ou não a Previdência é de 0,45 ponto percentual

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Fazenda eleva projeção do PIB para 1,1% neste ano

O Ministério da Fazenda aumentou a projeção para o crescimento da economia para este ano e o próximo. A estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, passou de 0,5% para 1,1%, neste ano, e de 2% para 3%, em 2018. O anúncio foi feito pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O ministro destacou que as empresas e as famílias reduziram o endividamento e as taxas de juros reais (descontada a inflação) está mais baixa, o que permite maior crescimento da economia neste ano. Porém, sem a votação da Previdência, a projeção do PIB para 2018 pode cair. A diferença entre aprovar ou não a reforma é de 0,45 ponto percentual no PIB do ano que vem. 

Para 2018, o ministro disse que é uma "projeção bastante conservadora, bastante sólida". Ele acrescentou que houve melhora na confiança e expectativa de inflação controlada o que leva a mais consumo e investimento. Meirelles acrescentou que as projeções são baseadas nas condições do “momento da economia”. “Não podem ser posições conservadoras em excesso ou otimista em excesso”, afirmou. 

A estimativa do mercado financeiro é que o PIB cresça 0,91%, este ano. Para 2018, a estimativa do mercado é 2,62%. Nos nove meses de 2017, o PIB registrou crescimento acumulado de 0,6%, em relação a igual período de 2016.


leia também

Banco Central projeta crescimento do PIB em 2,6% no próximo ano - Para os investimentos, a expectativa de alta é de 3%, com a melhora esperada para o setor de construção civil

BC eleva projeção de crescimento do PIB para 0,7% - A estimativa da inflação também foi revisada para baixo

Economia brasileira deverá crescer 3% em 2019 - Proposta da LDO prevê inflação de 4,2%

Governo reduz estimativa de crescimento para 2,5% - Projeção anterior previa que o PIB avançaria 3%

PIB do Paraná cresceu 2,5% em 2017 - O resultado foi puxado pela agropecuária, que avançou 11,5%

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: