A proeza de Gramado – e da empresária Marta Rossi

A surpreendente Festuris, feira global de turismo em um país de discreta presença entre os grandes destinos

Por Eugênio Esber

eugenioesber@amanha.com.br

Marta Rossi

Nos últimos anos, Gramado vem se notabilizando por um evento que não tem a ver com Natal, chocolate ou cinema. Em novembro de 2017, a Feira Internacional de Turismo (Festuris) atraiu para a terra dos Kikitos expositores e visitantes que movimentaram a economia da cidade e da região das hortênsias com negócios que, nos cálculos da Rossi & Zorzanello, a realizadora, chegou a R$ 18 milhões, ao longo de quatro dias do evento. Mais de 2 mil marcas do trade turístico brasileiro marcaram presença na Festuris, dividindo espaço com estandes de 60 destinos internacionais, em uma área de 22 mil metros quadrados. “Ainda aguardamos o relatório que a UCS [Universidade de Caxias do Sul] nos entregará sobre o montante dos negócios gerados no Festuris, mas contabilizamos o início de negociações com potencial para alcançar a cifra de R$ 280 milhões”, diz a idealizadora da Feira, Marta Rossi, uma das fundadoras da Rossi & Zorzanello.

Embora tenha ganhado evidência nesta década, a Festuris já caminha para sua trigésima edição, entre 8 e 11 de novembro do ano que vem. A longevidade surpreende, e o crescimento mais ainda. Afinal, nem o Brasil possui a relevância que poderia ter entre os grandes destinos turísticos internacionais, e nem o Rio Grande do Sul está no topo dos Estados brasileiros mais visitados por estrangeiros.  

Para entender como se deu a construção da Festuris em Gramado, AMANHÃ conversou com a artífice do evento, Marta Rossi. Confira a seguir o áudio da entrevista.


leia também

Festuris 2017 é lançada oficialmente no RS - Feira de turismo deve ter um crescimento de até 12%

Festuris deve reunir 10 mil profissionais - Organização espera gerar R$ 280 milhões em negócios

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: