Exportação nacional de vinho cresce 37% em volume até junho

Dez novas vinícolas terão qualificação para atuar no exterior

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

Exportação nacional de vinho cresce 37% em volume até junho

O primeiro semestre registrou desempenho positivo de 37% em volume e 24% em valor nas vendas de vinhos e espumantes para o mercado externo, na comparação com o mesmo período do ano anterior. No total, foram exportados 1,14 milhão de litros, contabilizando US$ 2,7 milhões. Realizado em parceria entre o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Wines of Brasil atua na promoção dos vinhos brasileiros no mercado internacional e as empresas associadas ao projeto respondem por 90% das exportações da bebida.     

“São números a serem comemorados, mesmo representando um percentual pequeno da produção nacional, pois mostram a maturidade do setor e, principalmente, a qualidade de nossos produtos. Estamos exportando para países bastante concorridos no mercado internacional, que recebem vinhos do mundo todo e estamos, aos poucos, ampliando nosso espaço”, destaca Dirceu Scottá, presidente do Ibravin. Paraguai, Estados Unidos, Japão, China e Reino Unido lideram o ranking dos destinos dos rótulos verde-amarelos composto, no período, por 31 países. Os espumantes foram o grande destaque no período. Apesar de representarem cerca de 18% do faturamento total das exportações, a categoria obteve um incremento de 84% no valor comercializado. Esse resultado se deve à venda de rótulos de categoria superior para alguns destinos como Estados Unidos, China e Japão.      

O bom desempenho obtido nos últimos anos tem despertado o interesse de empresas pela exportação. Por isso, o ingresso das novas vinícolas no Wines of Brasil marca a edição 2017 do Programa Primeira Exportação (PPE), que oferece qualificação para atuação no mercado internacional. Serão realizados workshops sobre formação de preços, logística e tendências internacionais em produtos. Por isso, o ingresso de 10 novas vinícolas no projeto Wines of Brasil entre abril e agosto desse ano, ampliando o grupo para 40 empresas, deve ajudar a fortalecer ainda mais o desempenho das exportações do setor. Os novos participantes são de três diferentes estados: Rio Grande do Sul, Paraná e São Paulo.  As empresas que passarão a participar do programa são a Aracuri Vinhos Finos, de Vacaria (RS); a Batalha Vinhas e Vinhos, de Candiota (RS); a Bueno Wines, de São Paulo (SP); a Casa Venturini Vinhos e Espumantes, de Flores da Cunha (RS); a Dunamis Vinhos e Vinhedos, de Dom Pedrito (RS); a Família Fardo Vinícola, de Quatro Barras (PR); a Vinhedos Capoani e a Vinhos Cristófoli, ambas de Bento Gonçalves (RS), além da Vinícola Arbugeri e da Vinícola Santini, de Caxias do Sul (RS). 

“O foco do PPE é fornecer orientações antes das empresas irem para o exterior, além de dar suporte às vinícolas no mercado internacional. E, como no mercado Externo precisamos atuar como bloco para marcar uma presença mais forte nos pontos de venda, o ingresso de novas empresas dará mais corpo ao Wines”, explica Diego Bertolini, gerente de promoção do Ibravin. Para Samuel Santini, supervisor administrativo da vinícola de Caxias do Sul (RS) que leva seu sobrenome, o que motivou a empresa a se associar ao projeto foi a troca de informações e a possibilidade de crescimento. “Estar no meio, buscar conhecimento para posicionar a vinícola no mercado internacional e crescer com foco e qualidade. No Wines, a gente tem contato com empresas que estão trabalhando fora do país  e temos a possibilidade de buscar referências internacionais para desenvolver a empresa de forma geral”, opina. 

leia também

Acordos comerciais fortalecem exportação catarinense - A indústria de cerâmica é uma das primeiras beneficiadas

AEB prevê superávit comercial de US$ 46,9 bi para 2016 - Apesar da ampliação, exportações renderão menos este ano

Ano do Galo: hora de encarar o dragão chinês - Não há mais como o Brasil, a futura quinta maior economia mundial, deixar de levar a maior economia a sério

Aurora atinge receita de R$ 8,5 bilhões em 2016 - Cooperativa catarinense teve lucro de R$ 109,2 milhões

Automóveis catarinenses na terra do Tio Sam - BMW de SC exportará 10 mil carros para os EUA a partir de junho

Balança acumula superávit de US$ 38,5 bi até outubro - O resultado é o melhor para o período desde 1989

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: