S&P tira rating do Brasil de observação e afirma nota

Na visão da agência, os desafios fiscais continuam significativos

Da Redação

redacao@amanha.com.br

S&P tira rating do Brasil de observação e afirma nota

A agência de classificação de risco Standard & Poor’s (foto) anunciou que retirou a nota de risco soberano do Brasil do status de observação negativa (CreditWatch negativo), mantendo a nota de crédito do Brasil em moeda estrangeira e local em “BB” – dois patamares abaixo do grau de investimento [selo de bom pagador]. 

Ainda que esteja afastado um rebaixamento do risco no curto prazo, a S&P manteve a perspectiva negativa para o rating do Brasil. A S&P avaliou que a economia dá sinais de estabilização, “apesar da política fluida". 

"O Congresso aprovou uma reforma trabalhista em julho, e o governo permanece comprometido a promover uma reforma da previdência que contenha o crescimento da despesa", destaca o documento da S&P. A decisão foi anunciada no horário em que o governo anunciava a elevação da meta fiscal de 2017 e 2018 para déficit de R$ 159 bilhões. 

Na avaliação da S&P, os desafios fiscais continuam significativos e a dívida pública deve continuar a subir até 2020. Em contrapartida, a situação das contas externas e a perspectiva de queda dos juros contribuem para a saída da recessão.


leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

A superfície e as profundezas da economia - Retomada poderá ser difícil dada a situação financeira empresarial

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: