Braskem avalia abrir capital e ofertar ações na Bolsa de NY

O plano considera a pulverização do capital da companhia

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Braskem avalia abrir capital e ofertar ações na Bolsa de Nova York

Os sócios controladores da Braskem (foto), Odebrecht e Petrobras, estudam uma grande operação de mercado, com a transferência da sede da empresa para os Estados Unidos e a abertura de capital com oferta de ações na Bolsa de Nova York. A informação foi veiculada nesta sexta-feira (4) no jornal Valor Econômico. De acordo com a publicação, o plano considera a pulverização do capital da companhia, que tem unidade no Polo Petroquímico de Triunfo (RS), e a rescisão do acordo de acionistas. 

“Essa não é a única alternativa na mesa para a questão societária da Braskem, mas a que vem ganhando cada vez mais força. A estrutura agrada especialmente a Petrobras, que cedeu mandato ao banco Santander para a instituição aprofundas estudos nessa direção. O banco estava montando operação semelhante (mas com propósito totalmente diverso) para a JBS. Com avaliação atual de R$ 28 bilhões, donos da petroquímica querem destravar valor e ampliar internacionalização”, informa o Valor.

Segundo o veículo, a Braskem está avaliada em R$ 28 bilhões na bolsa. “Odebrecht e Braskem controlam a empresa com fatias econômicas equivalentes, mas poderes diferentes. A Odebrecht tem 50,1% das ações ordinárias e a Petrobras, 47%. Ambas possuem também ações preferenciais (sem direito a voto) e a fatia no capital total de cada é, respectivamente, 38% e 36%. A gestão está nas mãos da Odebrecht, garantida pelo acordo de acionistas vigente”, afirma a reportagem. 

leia também

A governança precisa ser mais que corporativa - O país deve debater para evitar que o governo destrua o valor de empresas

A prosperidade de psicanalistas e criminalistas - Os desdobramentos das operações em curso vão escancarar certos porões onde só rara vez entrou a luz solar

Ação da Braskem segue quebrando recordes - Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

Ações da Braskem seguem em queda por Lava Jato - Os papéis desvalorizaram mais de 5% nesta quinta-feira

Ações da Petrobras fecham abaixo de R$ 5 pela primeira vez em 13 anos - O Ibovespa encerrou o dia no menor nível desde março de 2009, no auge da crise do crédito imobiliário nos EUA

Acordo de leniência da Braskem avança - No ano passado, a petroquímica iniciou investigações internas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: