STF obriga União a indenizar massa falida da Varig

O valor de R$ 3 bi será usado para pagar dívidas trabalhistas

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

STF obriga União a indenizar massa falida da Varig

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quinta-feira (3) manter a decisão que condenou a União a indenizar a massa falida da empresa aérea Varig em aproximadamente R$ 3 bilhões. Na sessão, a Corte rejeitou um recurso apresentado pela Advocacia-Geral da União (AGU) para que supostas contradições fossem corrigidas na decisão, tomada pelos ministros em 2014. 

A forma de execução da indenização ainda não foi definida pelo Supremo. A Varig alegou que a medida causou prejuízos financeiros à empresa, como a dilapidação de seu patrimônio e pediu a indenização, que foi concedida pelo STF. O valor que for recebido deverá ser usado para pagar dívidas trabalhistas do fundo de pensão Aerus, formado por ex-funcionários da empresa que buscam o recebimento dos valores desde a falência da Varig.

A massa falida de uma empresa é formada no momento em que é decretada a falência e consiste no acervo do ativo e passivo de bens do falido. O caso tramita na Justiça há mais de 20 anos e trata do congelamento de preços imposto para conter a inflação, durante a vigência do Plano Cruzado, entre 1985 e 1992.

leia também

BNDES abre linha de crédito para empresas em recuperação - O programa terá orçamento de R$ 5 bilhões e validade até 2017

Desse jeito, a lei não será capaz de recuperar empresa alguma - Maciel Titto questiona tratamento diferenciado a fisco e bancos

Justiça decreta falência da Manlec - A companhia pretende recorrer da decisão

Justiça homologa venda da Busscar para a Caio - A empresa paulista pagará R$ 67 milhões pela concorrente

Número de recuperações judiciais é o maior em 10 anos - O setor de serviços foi o que mais apresentou pedidos

Pedidos de recuperação judicial batem recorde - A maior parte dos requerimentos foi feita por micro e pequenas empresas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: