Renault investirá R$ 750 milhões no Paraná

Montadora soma cerca R$ 6 bi em aportes no Estado desde 1998

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Renault investirá mais R$ 750 milhões no Paraná

A Renault investirá R$ 750 milhões em uma nova fábrica de injeção de alumínio e na expansão da sua unidade de motores em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. O investimento é apoiado pelo programa Paraná Competitivo, do governo do Estado. O protocolo de intenções foi assinado nesta terça-feira (1) pelo governador Beto Richa (na foto, o primeiro da esquerda para a direita) e pelos presidentes da Renault América Latina, Olivier Murguet (na foto, o segundo da esquerda para a direita), e do Brasil, Luiz Pedrucci (na foto, o terceiro da esquerda para a direita). Com esse aporte, a montadora francesa soma cerca R$ 6 bilhões em investimentos no Paraná desde 1998, quando começou a produzir no país.

“O Paraná é o coração da operação da Renault no Brasil e passa a ser também na América Latina", destacou Olivier Murguet. Do total investido, R$ 350 milhões serão destinados para a nova fábrica Curitiba Injeção de Alumínio (CIA), que deve gerar 150 empregos diretos em três turnos de produção. Outros R$ 400 milhões vão para a ampliação da Curitiba Motores (CMO), que terá novas linhas de usinagem e cabeçotes de alumínio. De acordo com Murguet, a competitividade na operação no Paraná, a qualidade da mão de obra e do relacionamento com o governo, contribuíram para a decisão de ampliar investimentos no Paraná. O Brasil é o segundo maior mercado da empresa no mundo, atrás apenas da França. “Os nossos investimentos reforçam nossa aposta no País, onde produzimos há quase 20 anos”, completou Pedrucci, que acaba de assumir o cargo de presidente da Renault do Brasil.

De acordo com a Renault, a fábrica de injeção de alumínio começará a produzir em janeiro de 2018. A produção será a partir de uma linha para o bloco e outra para cabeçote do motor. A fábrica de motores, por sua vez, será ampliada para produção de motores mais eficientes. A empresa vai aumentar o índice de nacionalização de componentes e prevê o lançamento de uma nova geração de motores. Inaugurada em 2001, a fábrica de motores já produziu aproximadamente 3,5 milhões de propulsores, com cerca de 40% destinados à exportação, principalmente para Argentina. Durante o evento, a montadora também fez o lançamento do Kwid, novo veículo que já está sendo produzido no Paraná.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: