Há vagas: conheça profissões que faltam no mercado

Gestor de manutenção e controller são apenas duas delas

Por Infomoney

Há vagas: conheça profissões que faltam no mercado

O mercado de trabalho não está fácil. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a taxa de desemprego do Brasil subiu para 7,9% no primeiro trimestre deste ano e atingiu o maior índice desde o primeiro trimestre de 2013, quando estava em 8%. Apesar disso, sobram ofertas de empregos para profissionais que reúnem habilidades mais difíceis de serem encontradas no mercado, segundo um levantamento realizado pela consultoria de recrutamento Michael Page. Segundo o diretor-executivo da empresa, João Marco, o país ainda sofre com a falta de mão de obra qualificada em diversas carreiras e posições. “Independente de um cenário econômico mais lento, algumas carreiras continuam sendo indispensáveis para as empresas”, explica.

O executivo ressalta, ainda, que a escassez de oferta de emprego não afeta os executivos bem qualificados, mas nos casos dos “raros”, listados pelo estudo, não há o menor indício de crise na empregabilidade. “Os profissionais que não estão empregados sofrem de limitações importantes para as vagas disponíveis”, conclui. O levantamento ainda indica que domínio do inglês ainda acaba sendo o maior obstáculo para profissionais que atuam como controllers, advogados, entre outros cargos importantes.

Confira, a seguir, os cargos de alta e média gerência de estão em falta no mercado.

Engenharia
Gestor de manutenção
Gestores de planejamento de demanda
Gestor de saúde, segurança e meio ambiente
Supply 

Finanças   
Controller
Gerente de planejamento tributário

Jurídico
Gerente de Compliance     
Gerente de contencioso tributário
Gerente jurídico trabalhista

Recursos humanos       
Especialista em folha de pagamento
Gerente de R&S
Gerente de Shared Services
Gerente de Universidade Corporativa 

Tributações
Coordenador de relações sindicais

TI 
Posições em segurança de informação



leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: