IGP-M encerra junho com deflação

Índice usado no reajuste de aluguel recuou 0,67%

Por Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

IGP-M encerra junho com deflação

O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) recuou 0,67%, em junho ante uma queda de 0,93%, em maio, e uma alta de 1,69% em igual período do ano passado. Com esse resultado, houve deflação tanto no acumulado do ano (-1,95%) quanto nos últimos 12 meses (-0,78%). Esta última variação é a que serve de base de cálculo entre outros do reajuste do aluguel residencial. O levantamento é feito pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e se refere às oscilações de preços coletados entre os dias 21 de maio e 20 deste mês. 

A queda do IGP-M refletiu, principalmente, o recuo de preços no setor atacadista medido pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo (-1,22%). Um dos subgrupos que ajudaram a puxar para baixo a taxa foi o de combustíveis e lubrificantes para a produção, que passou de 0,7% para -0,69%. Também no grupo matérias-primas, foi constatada redução de 3,63%, como efeito do movimento no mercado internacional dos preços das commodities. 

Outro componente do IGP-M em baixa foi o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), de 0,29% para -0,08%. A pressão positiva no período foi exercida pelo Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) que passou de 0,13% para 1,36%, sob o impacto, principalmente, do custo dos salários. A mão de obra subiu de 0,27% para 2,48%, enquanto materiais, equipamentos e serviços aumentaram 0,02%, ante um recuo de 0,04%.


leia também

Alimentos ajudam a reduzir inflação em novembro - Em 12 meses, o IPCA acumula taxa de 6,9%, bem abaixo dos 7,8% de outubro

Alimentos pressionam e inflação volta a subir - IPCA já acumula alta de 8,74% nos últimos doze meses

Ano novo, vida nova? Nem tanto - O cenário econômico brasileiro deve permanecer instável em 2016

Aumento da gasolina fez inflação avançar em outubro - No acumulado desde janeiro, o índice teve elevação de 8,4%

Banco Central indica corte menor de juros - Copom também prevê fim gradual do ciclo de reduções

Banco Central projeta inflação de 4% para este ano - Se a estimativa se confirmar, IPCA ficará abaixo do centro da meta

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: