Cooperativas gaúchas faturam R$ 41,2 bi em 2016

Valor representa crescimento de 14,2% em relação a 2015

Por Dirceu Chirivino

dirceu@amanha.com.br

Cooperativas gaúchas faturam R$ 41,2 bilhões em 2016, revela Ocergs

Parecem não existir sinais de crise no cooperativismo gaúcho. Em 2016, as cooperativas do Rio Grande do Sul apresentaram crescimento de 14,2% em relação ao ano anterior e registraram faturamento de R$ 41,2 bilhões. É o que revela a Expressão do Cooperativismo Gaúcho 2017, estudo que divulga os números oficiais do cooperativismo no Estado. A publicação foi lançada nesta quarta-feira (28) durante o tradicional Tá na Mesa, organizado pela Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande Sul (Federasul), em Porto Alegre.

“A crise, de certo modo, é um combustível para a união das pessoas. Se as pessoas na família se unem mais na crise, isso é normal. Uma sociedade cooperativa é sempre uma grande família. Nossa tendência é estar sendo empurrado para uma cooperação maior no processo cooperativo”, explica Vergílio Perius (na foto, à esquerda), presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul (Ocergs-Sescoop/RS). “O cooperativismo está vivendo um bom momento, fruto, acima de tudo, desta questão da confiança e da capacidade de ter resiliência às crises. Isso não é um fator que está acontecendo só no Brasil. Está acontecendo no mundo todo. A humanidade hoje está buscando ferramentas de economia mais colaborativa, de participação mais intensa nas decisões, e as pessoas comuns hoje estão buscando por isso. Além do mais, o recurso da cooperativa volta para a comunidade e realimenta a roda do desenvolvimento local”, completa Mário Lopes de Freitas (na foto, à direita), presidente do Sistema CNCOOP-OCB-SESCOOP Nacional.

O ramo agropecuário registrou um faturamento de R$ 25,4 bilhões em 2016, representando um aumento de 34,6% nos últimos cinco anos. Foram investidos mais de R$ 2,5 bilhões nos últimos quatro anos nas cadeias de soja, milho, leite, arroz e trigo. Atualmente, 41 cooperativas do Rio Grande do Sul possuem planta agroindustrial onde processam a matéria-prima e agregam valor em mais de 130 produtos diferentes. O ramo de crédito registrou um faturamento de R$ 8 bilhões em 2016, valor que representa um salto de 18,5% em relação a 2015. A solidez do sistema cooperativista também pode ser evidenciada pela evolução do patrimônio líquido, formado pelas quotas partes dos associados, resultados do exercício, fundos e reservas legais e estatutárias. O valor alcançou R$ 12,1 bilhões, o que representa um aumento de 12,7% entre 2015 e 2016. 

Cooperativismo no Rio Grande do Sul
As cooperativas do Rio Grande do Sul apresentaram crescimento em seu quadro de pessoal e, em 2016, atingiram a marca de 58,9 mil empregos diretos, colocando o Estado como o terceiro maior no ranking de empregados de cooperativas no Brasil. O Rio Grande do Sul é o segundo Estado com o maior número de associados no Brasil, com 2,8 milhões sócios distribuídos em 420 cooperativas, o que representa 21,5% do quadro de associados do país. Os ramos agropecuário, crédito, saúde e transporte concentram 77% das cooperativas gaúchas.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: