Grupo Algar planeja investir R$ 600 milhões neste ano

Luiz Alberto Garcia participou do tradicional Tá na Mesa

Por Dirceu Chirivino

dirceu@amanha.com.br

Luiz Alberto Garcia, presidente do Conselho de Administração da Algar, participou do tradicional Tá na Mesa

A atual e prolongada crise enfrentada pelo Brasil não intimida o Grupo Algar. Esta foi uma das lições ensinadas pelo presidente do Conselho de Administração, Luiz Alberto Garcia (foto), que dividiu sua experiência de 82 anos na tradicional reunião-almoço da Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande Sul (Federasul) nesta quarta-feira (21).  “O ciclo das crises é de cinco a oito anos e sempre a crise do momento parece ser a maior. E sempre a crise do momento é a crise maior. As que ficaram pra trás já ficaram pra trás. Já foram suplantadas”, destacou.  Na visão de Garcia, a situação envolvendo ética que o país está enfrentando é salutar. “É para um Brasil melhor. Estão metendo o bisturi no tumor e colocando tudo para fora e o resultado será melhor. Vejo isto como extremamente positivo”, declarou. 

Garcia considera que é preciso cada vez trabalhar menos para o governo. “Eu acho que, cada vez mais, temos de trabalhar para ter menos governo e mais empresários. Quanto menos governo tiver no país, melhor. Governo não foi feito para ser empresário. Foi feito para governar e fazer plano de longo prazo. E temos de transformar nossos políticos em estadistas. A grande maioria dos nossos políticos é imediatista. Estão sempre pensando na próxima eleição que está chegando por aí. Isso impede que se faça planejamento de longo tempo”, criticou. 

Com atividades diversificadas, que vão do agronegócio à tecnologia da informação, Garcia apontou as start-ups como bons negócios para quem pretende empreender. “A meninada que está saindo da escola está formando start-ups e, diariamente, analisamos novos projetos. Quem está investindo não pensa na crise. Tanto é verdade que a Algar mantém seus investimentos”, salientou Garcia lembrando que o grupo investe nessas pequenas empresas inovadoras por meio da Algar Ventures. O grupo planeja investir em torno de R$ 600 milhões em 2017. A Algar tem investimentos na Argentina, no Chile, na Colômbia e no México, além do Brasil. Seu negócio mais expressivo é o da telecomunicação. A rede mais densa da companhia opera no Rio Grande do Sul.  Ainda assim a empresa projeta expansão no Estado. Brevemente, a Algar abrirá unidades em Caxias do Sul e Passo Fundo. Nos próximos dias, Garcia fará uma viagem até Uruguaiana, onde pretende também instalar uma filial futuramente.  


leia também

Algar Telecom fecha o cerco à região Sul - Com 10 mil quilômetros de fibra ótica, a empresa inaugura escritório em Porto Alegre com foco no mercado corporativo

Paraná é o único Estado 100% coberto por fibra ótica - SC tem 98% de cobertura enquanto no RS é de 67%

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: