Um software em nome da transparência

Ferramenta controla processos que envolvem empresas e governo

Da Redação*

redacao@amanha.com.br

Ferramenta desenvolvida pela curitibana Mannesoft faz o controle dos processos que envolvem as empresas e o governo

As empresas ganharam um aliado para escapar dos sistemas de manobras ilícitas que ficaram conhecidos ao longo das mais recentes operações da Polícia Federal no país. Pelo menos é isso que o Mannesoft Winner, um software baseado em Business Intelligence, promete. A ferramenta desenvolvida pela curitibana Mannesoft (foto) faz o controle operacional dos processos que envolvem as empresas usuárias e o governo, abrangendo etapas diversas, como a produção de propostas e documentos, monitoramento de preços praticados pela concorrência, levantamento de indicadores do mercado e suporte para formação de preços. No software, as empresas podem armazenar todos os seus documentos digitalizados e integrar as operações de múltiplas filiais e unidades.

Na análise de Luis Armando Dias, CEO da Mannesoft, ainda que as vendas para o setor público movimentem de 10% a 15% do PIB anual do Brasil, o mercado de governo segue com poucas informações disponíveis e consolidadas, o que dificulta estimar o volume de licitações. Desde o lançamento de sua nova versão, em julho de 2016, as vendas do software cresceram 68%. Com mais de 100 usuários ativos no país, o software é disponibilizado para empresas de todos os tamanhos e setores – do farmacêutico ao de equipamentos agrícolas a instrumentos musicais. Em média, uma empresa PME, por exemplo, tem de investir R$ 1,2 mil por uma assinatura mensal, sem limite de usuários.

Hoje, o programa é um dos maiores responsáveis pelo faturamento da empresa, que já figura entre as principais no segmento de software para gestão de vendas ao governo. A companhia oferece, ainda, soluções voltadas à educação, varejo e e-commerce. No quadro de novos negócios, a Mannesoft está desenvolvendo uma plataforma e-commerce que permite às empresas ter uma loja on-line tanto para consumidores quanto para sua rede de distribuidores. A ferramenta ajudará a companhia a encerrar  o ano com um crescimento em torno de 40%.

*Com reportagem de Isadora Duarte.


leia também

A governança precisa ser mais que corporativa - O país deve debater para evitar que o governo destrua o valor de empresas

Por um recall de vinhos - Será que o Procon não poderia ter algo parecido para as bebidas assim como faz com os automóveis?

Qual o nível de transparência de sua cidade? - Região Sul se destaca em ranking do Ministério Público Federal

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: