Desafio em quatro pontos

Qual o perfil dos profissionais que as empresas estão buscando?

Por Bernt Entschev

Qual o perfil dos profissionais que as empresas estão buscando?

Quem está num mercado competitivo sabe a importância do marketing pessoal, de estar disponível, ser voluntário, flexível, dominar outros idiomas, ter competências empreendedoras e energia emocional, já que a todo momento estamos interagindo com pessoas. E essa interação precisa ser feita da melhor maneira possível. 

Mas, quando pensamos no perfil do profissional a ser desenvolvido, também é necessário levar em consideração as principais dificuldades atualmente encontradas pelas organizações. Para fazermos esta reflexão, selecionei quatro grandes temas: mercado, custos, tecnologia e governo. A combinação destes quatro tópicos forma o que chamo de ‘torniquete’, responsável por garantir a eficiência e a sobrevivência da empresa. 

Primeiramente, o mercado. São milhares os concorrentes, na grande maioria dos produtos e nichos imagináveis. Se você desenvolve um produto hoje, na semana que vem já serão vários os concorrentes. Por exemplo, se sou um vendedor, o aperfeiçoamento da argumentação tem que ser constante. Além disso, é preciso ter pleno conhecimento dos produtos com os quais trabalho, dos concorrentes, e ainda perceber tendências de mercado. Dessa forma, a partir da análise de mercado e da concorrência, o indivíduo está preparado para realizar uma comunicação pró ativa e coerente das mudanças que estão ocorrendo para determinado produto. 

Já a área de custos convive diretamente com a inflação, a concorrência, a necessidade de reduzir custos e melhorar processos. Digo que o custo do insumo e de mão de obra são quase incontroláveis. E isso vai asfixiando as organizações. Nesse setor, precisamos de profissionais aptos a olhar para dentro e para fora das empresas. Internamente, melhorar o tempo todo o nível de produtividade, com menos recursos, e com processos mais ágeis e eficientes. Externamente, observar o mercado e os insumos dos quais dependem a produção. 

A tecnologia exige um profissional com um nível de percepção e sensibilidade para a velocidade da informação. Novos produtos e tendências exigem indivíduos que conduzam processos com rapidez. E, finalmente, o governo. O ponto mais complicado, que exerce uma pressão muito grande em duas situações: impostos e burocracia. O profissional  precisa entender os processos para ser capaz de simplificá-los. 

Para ser um profissional desejado pelas empresas que possuem tais desafios, é necessário estar muito bem treinado e preparado. O caminho é saber desenvolver, ou ter a sensibilidade para as mudanças tecnológicas que acontecem de forma simultânea em várias áreas nas organizações – produção, marketing, administração, ou nas questões ligadas ao governo, sempre desafiantes.


leia também

Não há segredo nas Melhores Empresas para Trabalhar – SC - Blumenau receberá próximo evento de AMANHÃ e GPTW em agosto

"Carnaval à vista" - Embora reconheça a exuberância da festa carioca, é para o eixo Recife-Olinda que se voltam meus afetos

A consagração de quem valoriza - Evento premiou as 40 Melhores Empresas para Trabalhar no RS

A hora e a vez dos colaboradores - Pesquisa de AMANHÃ e GPTW em SC recebe inscrições até 5 de setembro

A necessidade de controlar a internet nas empresas - O mau uso pode causar até mesmo demissão por justa causa

A profissão onde o salário pode ser de até R$ 100 mil - Síndicos profissionais administram vários condomínios ao mesmo tempo

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: