Governo apresenta superávit de R$ 12,9 bi em abril

Apesar do saldo positivo, o resultado é negativo no ano

Por Agência Brasil

Contas públicas apresentam superávit de R$ 12,9 bi em abril

As contas públicas fecharam abril com resultado positivo.  De acordo com os dados divulgados pelo Banco Central, Estados e municípios apresentaram superávit primário de R$ 12,908 bilhões, o melhor resultado para o mês desde abril de 2015 (R$ 13,445 bilhões). Em abril de 2016, houve superávit primário de R$ 10,182 bilhões.

Em abril deste ano, o Governo Central (Previdência, Banco Central e Tesouro Nacional) registrou superávit primário de R$ 11,451 bilhões. Os governos estaduais apresentaram superávit de R$ 828 milhões e os municipais, resultado também positivo de R$ 39 milhões. As empresas estatais federais, estaduais e municipais, excluídas empresas dos grupos Petrobras e Eletrobras, registraram superávit primário de R$ 590 milhões no mês passado. Apesar dos resultados positivos registrados em janeiro (R$ 36,712 bilhões) e em abril, no ano o resultado das contas públicas é negativo. De janeiro a abril, o setor público registrou déficit primário de R$ 15,106 bilhões. No mesmo período de 2016, houve déficit de R$ 4,411 bilhões.

Os gastos com juros nominais ficaram em R$ 28,331 bilhões, no mês passado, e em R$ 138,821 bilhões no primeiro quadrimestre. O setor público registrou déficit nominal – formado pelo resultado primário e os resultados de juros – de R$ 123,716 bilhões, de janeiro a abril. Somente no mês passado, o déficit nominal ficou em R$ 15,423 bilhões.  

A dívida líquida do setor público – balanço entre o total de créditos e débitos dos governos federal, estaduais e municipais – somou R$ 3,025 trilhões em abril, o que corresponde a 47,7% do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Em relação a março, o indicador de dívida e PIB ficou estável. A dívida bruta (contabiliza apenas os passivos dos governos federal, estaduais e municipais) chegou a R$ 4,547 trilhões ou 71,7% do PIB, com alta de 0,1 ponto percentual em relação ao mês anterior.


leia também

Austin altera perspectiva do rating do Brasil - Agência considera o processo de concessões como positivo

Contas públicas ficam negativas em R$ 3,4 bi em julho - A meta é de um déficit de R$ 161,3 bilhões neste ano

Federasul projeta economia do Brasil com e sem Dilma - No primeiro caso, estagflação; no segundo, queda da inflação

Fitch rebaixa ratings de Santa Catarina e do Paraná - As notas foram alteradas em função do rebaixamento do país

Governo tem menor déficit para julho em quatro anos - Em relação ao mesmo mês do ano passado, valor caiu 64,2%

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: