Bolsa tem dia de correção após denúncia contra Temer

O BC destacou que permanece atento às condições de mercado

Da Redação, com Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Dólar abre em queda e bolsa de valores em alta um dia após revelações de gravação entre Joesley Batista e Temer

O dólar fechou em queda nesta sexta-feira (19), em movimento de correção após a forte valorização no dia anterior em meio ao cenário político conturbado, registrando sua maior alta em 18 anos. A intervenção do Banco Central no mercado de câmbio também ajudou a puxar a cotação da moeda para baixo. A moeda norte-americana caiu 3,9% a R$ 3,2571 na venda. Foi a maior retração diária desde novembro de 2008. Na semana, o dólar subiu 4,2% em relação ao real.  O mercado fez um movimento de correção após o "pânico" no dia anterior, quando o dólar subiu 8,1%, a R$ 3,389 na venda. A Bovespa também passou por um dia de correção e fechou em alta de 1,6%, aos 62.639 pontos, após ter perdido 8,8% na quinta-feira, na maior queda desde outubro de 2008.

Ontem, o Banco Central (BC) informou que fará leilões de swap cambial tradicional hoje (19), na segunda (22) e na terça-feira (23). A operação equivale à venda de dólares no mercado futuro e ajuda a segurar a alta ou a forçar a queda da moeda norte-americana. Ontem, o BC realizou quatro intervenções no mercado cambial. O BC destacou, em comunicado que “permanece atento às condições de mercado e, sempre que julgar necessário, poderá realizar operações adicionais de swap”.

Movimento na quinta
No primeiro dia de funcionamento do mercado financeiro depois da divulgação das delações premiadas, o índice fechou o dia com retração de 8,8%, aos 61.597 pontos. Às 10h21 de ontem, o pregão registrou queda de 10,47% e foi suspenso por meia hora, mecanismo conhecido como circuit breaker, que paralisa as negociações em momentos de fortes quedas.

leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A JBS sai das cordas - Se está patente que o Brasil tende a soçobrar numa turbulência amarga, os irmãos Batista deverão sobreviver bastante bem

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

Ação da Braskem segue quebrando recordes - Alta do dólar e queda dos preços do petróleo beneficiam empresa

Ações da Braskem seguem em queda por Lava Jato - Os papéis desvalorizaram mais de 5% nesta quinta-feira

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: