Gramado, capital da “Serra do Silício”

Gramado Summit terá fundos com R$ 500 milhões para investir

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

Gramado Summit, em agosto, terá a participação de fundos com mais de R$ 500 milhões para investir em empresas inovadoras

Um evento que evidenciará as mais inovadoras startups para investidores interessados em como essa inovação pode impactar negócios e vidas. Assim é definida a Gramado Summit (o credenciamento pode ser feito aqui) que tem o objetivo de transformar Gramado (RS) em um grande polo de tecnologia e local ideal para a indústria criativa. O evento será realizado pela empresa Rossi & Zorzanello entre 10 e 12 de agosto.  e alguns números preliminares são impactantes. Serão, por exemplo, mais de R$ 500 milhões em fundos de investimento e 70 startups apresentando seus mais variados e inovadores projetos. Entre os investidores estão nomes de peso como Guilherme Paulus, da GJP, e Leandro Teixeira, do Fundo Criatec 2. 

Marcus Rossi (foto), CEO e co-fundador da Summit, deseja tornar o município da serra gaúcha, mais conhecido nacionalmente pelo seu festival de cinema, em uma espécie de Serra do Silício, onde empreendedores digitais receberão uma série de benefícios para instalação de suas empresas. Porém, como destaca Rossi na entrevista a seguir, a cidade tem uma atração a mais frente a São Paulo, por exemplo. “Identificamos um custo de vida mais baixo em Gramado. Mobilidade urbana e segurança também são dois pontos fortes, tendo em vista que a indústria de inovação não trabalha com horários tradicionais”, lista ele. Acompanhe os principais trechos da entrevista a seguir. 

Na sua avaliação, como está o nível de empreendedorismo digital no Sul?
Vivemos em uma região inovadora. Constantemente nos reinventamos e buscamos implantar novas oportunidades de negócios. Tomando o Rio Grande do Sul como exemplo, já existem players com projetos ambiciosos no meio digital. Porém, ainda não temos um ambiente propício para expansão e visibilidade nacional destas iniciativas. Com a Gramado Summit iremos dar palco, não apenas para um, mas para todos que buscam empreender na área.

Quais os principais trunfos da região Sul?
Hoje as principais universidades do Estado estão criando seus próprios parques tecnológicos como o TecnoPuc, o TecnoSinos, o TecnoUCS e o Feevale Techpark. São apenas algumas iniciativas que estão estimulando a criação de grandes negócios. Já em Gramado temos um cenário estrutural muito parecido com o Vale do Silício: uma cidade pequena com potencial econômico estratosférico e qualidade de vida que não se encontra em outro destino do Brasil. Nos falta apenas trazer para cá grandes iniciativas do meio digital. 

Como os fundos de investimentos de startups analisam as oportunidades do Paraná para baixo?
Existe uma concentração de investimentos no centro do país. Mas temos percebido, muito em vista dos contatos para a Gramado Summit, que os investidores estão buscando novas possibilidades de negócios fora dos grandes centros. Acredito que um dos motivos para o interesse seja o baixo custo de operação de uma startup quando comparado a uma cidade como São Paulo, por exemplo. Tendo Gramado por base, identificamos um custo de vida mais baixo. Mobilidade urbana e segurança também são dois pontos fortes, tendo em vista que a indústria de inovação não trabalha com horários tradicionais. Ou seja, é um ambiente ideal, pois une menor custo e melhores resultados na produtividade.

Há algum segmento específico de startups que tem atraído aportes dos fundos?
O mercado das fintechs é um deles por causa da alta escalabilidade do setor. Outra área que vem recebendo uma atenção especial é de aplicativos para a saúde. No Sul, considerando principalmente Santa Catarina, notamos a maior parte das iniciativas voltadas para marketing e vendas.

Como está sendo recebida a Gramado Summit pelos investidores e empreendedores do país?
A iniciativa de colocar em exposição startups inovadoras, com modelos de negócios disruptivos, e promover o seu encontro com um seleto e qualificado grupo de investidores, tem sido a base para o sucesso do evento. Paralelo a isso, estamos preparando uma grade temática com painelistas de peso e muito conteúdo para que os visitantes tenham uma perspectiva real da importância do mercado digital.

leia também

A pedra no caminho das startups brasileiras - Parcerias com grandes empresas é o maior dos desafios, alerta Anpei

É possível ter Inteligência Competitiva em startups? - Trata-se de um olhar estratégico e holístico capaz de revelar oportunidades e antecipar ameaças indesejadas

Inovação é um dos pilares do desenvolvimento - O apoio às startups foi debatido na Federasul

Investidores-Anjo fazem manifesto contra a Receita - Setor esperava isenções de tributos como forma de estímulo

Os nove princípios da inovação ágil - A velocidade das startups pode ser muito útil para as grandes empresas

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: