Santander lança plataforma Superdigital

Archipretre acredita que a ferramenta terá forte adesão

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Ezequiel Archipretre, CEO da Superdigital, fintech do Banco Santander

A Superdigital, fintech adquirida pelo Santander Brasil no ano passado, chega ao mercado para mudar o jeito como as pessoas trocam dinheiro diariamente – tenham elas conta em banco ou não. Antes chamada de ContaSuper, a plataforma foi relançada nesta terça-feira (9), em São Paulo, e acaba de alcançar 1 milhão de clientes. A nova solução foi desenhada para que o usuário interaja com seus contatos e faça transações como se estivesse em um aplicativo de conversa (como o WhatsApp, por exemplo), mesmo com quem não possui Superdigital – uma vez que a plataforma é totalmente integrada ao sistema financeiro nacional.

Os usuários da Superdigital podem rachar contas pelo chat e fazer vaquinhas digitais para arrecadar valores com seus contatos, o que inclui fazer e receber transferências de bancos tradicionais. O usuário também pode recarregar celulares pré-pagos e cartões de transporte público, pagar contas, fazer saques nacionais e internacionais – em até 10 diferentes moedas estrangeiras – e realizar compras on-line ou em lojas físicas. “A integração com o sistema financeiro e a interface amigável da Superdigital são nossos grandes diferenciais. Não somos um ecossistema fechado. Qualquer pessoa pode ser um usuário Superdigital, independente do banco em que tenha conta ou se não tem conta bancária.” afirma Ezequiel Archipretre (foto), CEO da Superdigital. “Somos uma alternativa robusta em serviços financeiros e teremos novidades constantes para os nosso usuários”, promete Archipretre. 

Para ter uma Superdigital, basta baixar o aplicativo e criar um perfil. O usuário pode experimentar mesmo antes de se tornar um assinante, As assinaturas variam entre R$7,90 e R$11,90.  “Para promover uma mudança real no modelo de negócio financeiro, encontramos saídas criativas e precificamos o serviço de forma justa”, explica o executivo. A interface amigável do aplicativo, aliada à linguagem simples, permite que seja utilizado por todos os públicos. “Acreditamos que como toda nova ferramenta, será usada primeiro por early adopters, mas como é  tão simples como trocar uma mensagem ,  rapidamente  será utilizada por todos as pessoas que fazem trocas financeira,”, projeta ele.

O processo de desenvolvimento da plataforma teve início no ano passado. Em novembro, a Superdigital reuniu um grupo formado por alguns dos maiores influenciadores digitais do país para workshops no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. Lá foram discutidos desde a melhor forma de se comunicar com o público até o próprio modelo de negócios. Segundo o CEO da empresa, varias das sugestões apresentadas foram incorporadas ao desenho final da plataforma. “Os influenciadores nos acompanharam durante todo o processo e continuam em contato conosco. A plataforma é viva e estamos só no começo, por isso estamos atentos às sugestões de melhorias que vão surgir à medida em que as pessoas a usarem. Temos esse DNA dinâmico e vamos nos manter assim”, conclui.


leia também

A TI aplicada às finanças se tornará realidade? - Bancos investem para evitar que as start-ups ganhem fatia de mercado

Agiplan lança plataforma com tecnologia disruptiva - De acordo com Marciano Testa, o Agipag elimina intermediários

América Latina ainda é destino de investimentos em 2015 - É o que pensa Venancio Castañon, executivo que estuda a região

As críticas on-line são realmente importantes para as empresas? - Chen Jin, pesquisador da Wharton, mostra de que maneira os sistemas de avaliação podem afetar os negócios na internet

Banco Central propõe regras para as fintechs - Instituição abre consulta para regulamentar financeiras digitais

Bancos oferecem a clientes venda de dólares em caixa eletrônico - O limite para saques pelo modelo é o autorizado pelo Banco Central, de US$ 3 mil por dia

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: