Austrália estuda vender visto permanente de imigração

Governo analisa criar uma loteria ou uma taxa para se obter o documento

Por Infomoney

Austrália estuda vender visto permanente de imigração

O governo australiano está estudando a possibilidade de vender o visto para quem queira imigrar para o país, deixando de lado o método de autorização de entrada com base em habilidades ou conexões familiares. O programa de migração da Austrália emite visto de residência permanente para três tipos de migrantes: aqueles com habilidades específicas; aqueles com famílias na Austrália e outros que atendam a critérios de elegibilidade especiais. A Comissão de Produtividade sugere algumas propostas, incluindo a introdução de uma loteria de imigração e a criação de um sistema de pagamento de uma taxa de entrada. A decisão vai ser tomada no final de março de 2016. De acordo com o jornal The Sydney Morning Herald, o esquema poderia ajudar o governo no déficit orçamental, trazendo bilhões de dólares em receita extra e permitindo o corte do número de funcionários públicos que administram o sistema de imigração.

Opções
A Comissão estuda permitir um número de lugares para uma loteria, semelhante com o que praticam os Estados Unidos, cuja imigração permite até 50 mil lugares por ano para candidatos de países com baixas taxas de imigração. Já o Senador David Leyonhjelm afirma que um sistema de imigração com base em taxa havia sido apoiado pelo economista ganhador do prêmio Nobel, Gary Becker. De acordo com Becker, um valor de 50 mil dólares australianos (R$ 111.670, de acordo com a cotação de terça-feira) seria o ideal para a entrada no país. “Isso seria uma contribuição financeira substancial para o orçamento da Austrália e que deve deixar os impostos mais baixos”, explica Leyonhjelm. Além disso, por conta da incapacidade de muitos imigrantes de pagar a taxa adiantada, poderia ser considerada a criação de um programa de empréstimo ou desconto no salário. As empresas que necessitam de migrantes qualificados também poderiam pagar a taxa.

Lado contrário
A proposta tem alarmado grupos empresariais e sindicatos. Eles reclamam da escassez de profissionais qualificados ser o foco da política de imigração da Austrália. Grupos comunitários também se opõem a movimentos que impeçam os imigrantes mais pobres de entrar no país. O presidente do Conselho Australiano de Sindicatos, Ged Kearney, afirma que a organização está preocupada que o governo esteja focado em permitir que apenas os mais ricos possam emigrar, independentemente de cumprir as exigências atuais, fazendo com que aumente cada vez mais a escassez de imigrantes qualificados. 


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: