Um ciclo de vida mais longo aos produtos

Ernani Nunes, da Embraco, destaca o valor da Economia Circular

Por Ernani Nunes*

Ernani Nunes, da Embraco, destaca a o valor da Economia Circular

Preocupação crescente entre os empreendedores do mundo inteiro, a sustentabilidade nos negócios requer ações como redução de custos e reforço da imagem da marca, fatores que impulsionam a responsabilidade social. No entanto, a maioria das ações de sustentabilidade ainda tem como fundamento o ciclo econômico tradicional (ou linear), onde a produção de bens baseia-se na extração, produção e descarte.

Segundo o Fórum Econômico Mundial, cerca de 3 bilhões de consumidores deverão ingressar na classe média no planeta dentro de oito anos. Como decorrência desse crescimento acelerado, outros indicadores preocupantes apontam para uma escassez cada vez maior de recursos. Um exemplo? Calcula-se que até 2025 o consumo de alimentos deverá crescer 57% e o descarte de produtos em final de vida útil aumente em 41%. No atual ritmo, os recursos naturais atingirão a exaustão antes que novas demandas de consumo sejam atendidas.

Um modelo alternativo ao ciclo econômico tradicional é a chamada Economia Circular, cujo objetivo é conservar o mais alto possível o valor e utilidade dos produtos e insumos e, também, pelo maior tempo possível. Dentro do conceito regenerativo, ao invés de enviar produtos antigos a um aterro sanitário ou derretê-los em um forno para gerar novos produtos, a Economia Circular preconiza a reutilização dos mesmos como forma de estender sua vida útil. Aproveitar o uso de seus componentes na fabricação de outros bens de consumo ou industriais é uma forma de fazer isso. Outra prática que ilustra bem o conceito é o compartilhamento de bens e serviços. 

No Brasil, ainda são isoladas as iniciativas de sustentabilidade que incorporam os fundamentos da Economia Circular. Isso se configura em uma oportunidade para o surgimento de novos negócios com o uso inteligente e avançado dos recursos. A Economia Circular maximiza a sustentabilidade nos negócios. Não basta ser sustentável, tem de ser circular.

*Diretor de novos negócios da Embraco.


leia também

A nova ambição do encantador de clientes - Galló anuncia missão de ser “o maior varejo de moda das Américas”

BRDE anuncia investimentos para municípios - Banco financiará R$ 40 mi em obras no RS, além de R$ 95 mi para a Cosuel

BRDE lança programa para ações sustentáveis - O BRDE PCS terá tarifas menores e prazos de empréstimos maiores

Embraco anuncia novo presidente - Luis Felipe Dau assume cargo em março

Embraco estuda refrigerador sem compressor - Empresa catarinense quer dominar nova tecnologia

Fundo norte-americano GEF se torna sócio da Tecverde - Construtora paranaense receberá um aporte de R$ 20 milhões

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: