BRDE viabilizou aportes de R$ 3,2 bi em 2016

Banco consegue juros menores ao contratar empréstimos na Europa

Por Dirceu Chirivino

dirceu@amanha.com.br

BRDE viabilizou investimentos de R$ 3,2 bilhões no Sul em 2016

O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) viabilizou investimentos de R$ 3,2 bilhões em grandes e pequenos negócios de todos os setores da economia na região. O desempenho gerou 29 mil empregos no período em que a economia brasileira apresentou a maior retração já registrada. O atraso no pagamento dos financiamentos (a inadimplência foi de 2,8% ante 3,7% do Sistema Financeiro Nacional) motivou o provisionamento de R$ 392 milhões, no ano passado. Para a manutenção das empresas, o BRDE reestruturou dívidas no valor de R$ 229 milhões. O trabalho para recuperação de créditos resultou em receitas de R$ 150,6 milhões.  

“O banco exerce um papel social, na medida em que, em momentos críticos, procura antever crises setoriais e tenta antecipar soluções para prevenir a inadimplência por parte dos tomadores, renegociando prazos e condições de pagamentos”, destacou Odacir Klein, presidente do BRDE. Provocado sobre as condições gerais do Brasil, Klein manifestou otimismo. “Vamos melhorar a economia, sem que isso seja a oitava maravilha”, projeta. 

Luiz Noronha, diretor de Planejamento do BRDE, informou que a instituição está contratando um empréstimo de 100 milhões de euros junto à Agência Francesa de Desenvolvimento e ao Banco Europeu de Investimento (BEI). “Ao negociar com os bancos europeus, solicitamos redução das taxas de juros e, em troca, oferecemos garantias diretas do BRDE, ao invés da União. Depois de examinada a proposta, veio a oferta: uma redução de 2,7% para 2% ao ano, mais variação cambial, na taxa de juro. E, surpreendentemente, sem a necessidade de garantias”, contou. “Para facilitar o empréstimo sem garantias, eles levaram em conta o desempenho do BRDE – atestado pelas agências de risco Moody’s  e  Fitch –  focando principalmente a evolução anual dos ativos totais e do patrimônio líquido, por exemplo”, explicou. Aliás, o patrimônio líquido evoluiu de R$ 2,3 bilhões de 2015 para R$ 2,4 bilhões em 2016. Ainda houve lucro líquido de R$ 117,6 milhões (contra R$ 262,9 milhões em 2015) e o saldo da carteira de operações chegou a R$ 13,4 bilhões. Já o ativo total somou R$ 16,5 bilhões no ano passado. 

Ao final de 2016, o BRDE contava com 36 mil clientes ativos, cujos empreendimentos financiados estavam localizados em 1.095 cidades (91,9%) da região Sul. O Banco financiou investimentos de pequeno e também de maior porte como geração de energia renováveis, armazenagem de grãos e processamento de produtos agropecuários de cooperativas, tecnologia e infraestrutura para municípios.


leia também

Badesul instala sindicância interna - Irregularidades na liberação de recursos serão investigadas

Badesul lança programa para capacitar pequenas empresas - Banco liberará R$ 50 milhões por meio de projetos do Sebrae-RS

BC aprova plano de recuperação do Badesul - Agência gaúcha de fomento venderá operações em prejuízo

Beto Richa deseja retomar Sudesul - No Codesul, governador do PR propõe integração dos Estados da região

BID no Brasil lança síntese para apoio de projetos - Banco apresenta alternativas para o aumento do aporte em infraestrutura

BNDES volta a habilitar o Badesul - A contrapartida à retomada do limite operacional será a apresentação de um plano de reestruturação

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: