Alexandre Almeida comandará a BRF no Brasil

Companhia catarinense também anunciou outras mudanças

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Alexandre Almeida comandará a BRF no Brasil

Alexandre Almeida (foto), ex-CEO da Itambé, foi escolhido pela BRF para assumir a liderança do mercado brasileiro, conduzir o processo de integração e dar sequência às iniciativas prioritárias já em curso. Rafael Ivanisk deixará a companhia por decisão pessoal. Leonardo Byrro, que dividia a operação brasileira com Ivanisk, assume a vice-presidência de Supply, função anteriormente vinculada à divisão de Operações. 

“Essa mudança tem o objetivo de acelerar o processo de planejamento, otimização e integração da cadeia de valor da empresa. Essa nova configuração permite um foco adicional na gestão agroindustrial, importante diferencial competitivo da BRF”, explica a empresa em comunicado oficial. Outra alteração é na área de Qualidade Global, que passa a se reportar diretamente ao CEO Global. A agenda estratégica global de marketing e inovação ficará sob a liderança de Pedro Navio, ex-CEO da Latam e da RedBull.

A BRF também criou um grupo de gestão de resposta se posicionar frente aos desafios que vem enfrentando desde a deflagração da Operação Carne Fraca e aos consequentes impactos gerados por ela no agronegócio brasileiro. Essa área reúne um time multidisciplinar, comandado pelo executivo Simon Cheng e terá a função de assessorar o Comitê Especial de Resposta. Dessa forma, Pedro Faria volta seu foco para a gestão dos negócios da BRF e suas funções como CEO. Essa estrutura é provisória, mas poderá permanecer ativa pelo tempo que a companhia julgar necessário.


leia também

A prosperidade de psicanalistas e criminalistas - Os desdobramentos das operações em curso vão escancarar certos porões onde só rara vez entrou a luz solar

Agora quem não quer sou eu - E quando a empresa pisa na bola e compromete a imagem da celebridade que a endossa?

As inúmeras lições da Operação Carne Fraca - Glauco Côrte analisa a ação que afetou o setor agroindustrial

Brasil Foods cria subsidiária para mercados muçulmanos - A Sadia Halal poderá atuar em países ainda não atendidos pela empresa

Brasil Foods investe US$ 16 milhões na Malásia - Companhia quer expandir presença no sudeste asiático

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: