JTI investirá R$ 90 milhões no RS e em SC neste ano

Governo gaúcho negocia futuros aportes com multinacional de fumo

Da Redação

redacao@amanha.com.br

JTI investirá R$ 90 milhões no RS e em SC neste ano

Neste ano, a Japan Tobacco International (JTI) investirá cerca de R$ 90 milhões no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. O anúncio foi feito nesta terça-feira (28) durante uma reunião de aproximação (foto) com o governo gaúcho. A JTI é uma empresa líder no segmento de tabaco, com sede na Suíça e presente em 12 estados brasileiros. No Rio Grande do Sul tem uma unidade de processamento de tabaco e um centro de distribuição em Santa Cruz do Sul. Segundo Sartori, o Estado está disposto construir uma parceria. "Estamos de portas abertas, queremos grandes investimentos e seremos parceiros nessa caminhada. Nada contra outros estados, mas o berço da industrialização do fumo sempre foi o Rio Grande do Sul", afirmou.

O gerente de Relações Governamentais da JTI, João Marcelo Marins, declarou que a companhia acredita na economia do Brasil e do Rio Grande do Sul, e pretende fazer outros investimentos, como os que já foram feitos em Santa Cruz do Sul. "Estamos em 12 Estados do Brasil e já investimos cerca de R$ 500 milhões, a maior parte desse valor aqui no Rio Grande do Sul. São cerca de mil funcionários em nossas 18 unidades, sendo quase metade aqui no Estado", destacou.

A JTI foi fundada em 1999 após a aquisição da RJ Reynolds fora dos Estados Unidos, pela Japan Tobacco (JT). A receita da companhia no mundo, em 2016, foi de US$ 10,5 bilhões. 


leia também

JTI investirá R$ 80 milhões em Santa Cruz do Sul - Fábrica de cigarros será inaugurada em março de 2018

Philip Morris expande operações na região Sul - Empresa inaugurou centro de serviços em Porto Alegre

Quem são os maiores produtores de tabaco no Brasil - Região Sul concentra 98% da cultura, revela Afubra

Restrição a financiamento preocupa fumicultores do Sul - Redução da dependência financeira da cultura terá de ser provada

SindiTabaco avalia a COP7 como satisfatória - Pontos que poderiam afetar a produção de fumo não evoluíram

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: