Carne Fraca: Faesc, Sindicarne e Acav se manifestam

Entidades defendem apuração dos fatos e punição exemplar

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Faesc, Sindicarne e Acav se manifestam em razão da Operação Carne Fraca, da PF

Em razão da Operação Carne Fraca, entidades ligadas ao setor da carne em Santa Catarina se manifestam. A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc) condenou veementemente as ações criminosas praticadas por funcionários de alguns dos maiores frigoríficos do país mancomunados com fiscais agropecuários do Ministério da Agricultura. “A venda e o uso de carnes sem as condições adequadas de consumo humano no processamento de produtos industrializados é um crime contra a saúde pública que deve ser rigorosamente apurado e, seus autores, penalizados. Essa conduta ilícita causa prejuízos à imagem do Brasil e pode criar embaraços junto aos mercados mundiais duramente conquistados nas últimas décadas através de esforços dos produtores rurais e das agroindústrias”, destaca a nota assinada por José Zeferino Pedrozo, presidente da Faesc. 

O Sindicato das Indústrias da Carne e Derivados no Estado de Santa Catarina (Sindicarne) e a Associação Catarinense de Avicultura (Acav) assinaram um documento conjunto. “As indústrias brasileiras e catarinenses de carnes, notadamente as de aves e suínos, adotam o que há de mais avançado em máquinas, equipamentos, processos e recursos tecnológicos, assegurando alimentos cárneos confiáveis e de alta qualidade. Por outro lado, sistemas de controle de qualidade das próprias indústrias e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) eliminam a possibilidade de erros ou de não-conformidades. Essas características permitiram à agroindústria brasileira e catarinense exportar carne para mais de 160 países, entre eles, os mais exigentes do planeta em termos de qualidade e sanidade”, recordam as entidades. “É necessário compreender a dimensão, a complexidade e o elevado grau de desenvolvimento desse importante setor da indústria nacional para considerar que os fatos apurados pela Polícia Federal são isolados e representam lamentáveis exceções dentro da cadeia produtiva. O Sindicarne e a Acav defendem a rigorosa apuração dos fatos e a exemplar punição daqueles que atuaram fora dos padrões exigidos”, finaliza a nota. 


leia também

A JBS sai das cordas - Se está patente que o Brasil tende a soçobrar numa turbulência amarga, os irmãos Batista deverão sobreviver bastante bem

A prosperidade de psicanalistas e criminalistas - Os desdobramentos das operações em curso vão escancarar certos porões onde só rara vez entrou a luz solar

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A vingança de Camões - Massacrar o português não é passaporte para o sucesso. É só um atentado civilizacional

Aécio Neves é alvo de operação da Polícia Federal - STF determina afastamento do Senador e do deputado Rocha Loures

Agora quem não quer sou eu - E quando a empresa pisa na bola e compromete a imagem da celebridade que a endossa?

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: