IPCA de fevereiro fecha em 0,33%

Índice acumulado nos últimos 12 meses fica em 4,76%

Da Redação

redacao@amanha.com.br

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA de fevereiro apresentou variação de 0,33%, abaixo dos 0,38% de janeiro, divulgou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Este foi o índice mais baixo para os meses de fevereiro desde 2000, quando ficou em 0,13%. Considerando os dois primeiros meses do ano, o índice está em 0,71%, percentual, abaixo dos 2,18% em igual período de 2016. No acumulado dos últimos 12 meses, o índice caiu para 4,76%, frente aos 5,35% nos 12 meses imediatamente anteriores. Em fevereiro de 2016, a taxa atingiu 0,90%.

Em fevereiro, o grupo Educação, com alta de 5,04% e impacto de 0,23 p.p., dominou o IPCA do mês, sendo responsável por 70% dele. Em contrapartida, o grupo Alimentação e Bebidas apresentou queda de 0,45% e teve intensa atuação em conter o índice, tendo em vista o impacto de -0,11 p.p.

A alta de 5,04% no grupo Educação reflete os reajustes habitualmente praticados no início do ano letivo, em especial os aumentos nas mensalidades dos cursos regulares, cujos valores subiram 6,99%, gerando o mais elevado impacto individual sobre o índice do mês (0,21 p.p.). Regionalmente, os cursos regulares tiveram aumentos entre 4,94% (São Paulo) e 10,13% (Salvador). A exceção foi Fortaleza, onde não foi apropriado nenhum aumento devido à diferença no período de reajuste. 

Por outro lado, o grupo Alimentação e Bebidas, com variação de -0,45%, foi decisivo no recuo da taxa do IPCA de janeiro para fevereiro. Este é o menor resultado desde julho de 2010, quando os preços dos alimentos tiveram queda de 0,76%. Ao se considerar apenas os meses de fevereiro, esta é a queda mais intensa desde o início do plano Real (1994).

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, se refere às famílias com rendimento monetário de 01 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte, e abrange dez regiões metropolitanas do país, além dos municípios de Goiânia, Campo Grande e de Brasília. Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados no período de 31 de janeiro a 24 de fevereiro de 2017 (referência) com os preços vigentes no período de 30 de dezembro de 2016 a 30 de janeiro 2017 (base). As informações partem da Sala de Imprensa do IBGE.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: