Governo anuncia 55 novos projetos para concessões

Portos do PR e de SC receberão R$ 312 milhões em investimentos

Da Redação, com Agência Brasil

redacao@amanha.com.br

Governo anuncia 55 novos projetos para concessões à iniciativa privada

O Palácio do Planalto anunciou, durante a segunda reunião do Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), os próximos projetos que deverão ser concedidos à iniciativa privada. No total, serão apresentados 55 novas concessões, além de propostas de renovações de atuais concessões, entre elas rodovias, ferrovias, terminais portuários e linhas de transmissão de energia.

Na abertura do encontro, o presidente Michel Temer informou que os novos projetos permitirão R$ 45 bilhões de novos investimentos nas áreas de energia, transportes e saneamento e promoverão 200 mil novos empregos diretos e indiretos. “Precisamos fazer logo isso, porque o que mais almejamos é exatamente o combate ao desemprego no país”, destacou o presidente da República. Durante a reunião, o Ministério de Minas e Energia apresentou uma proposta de licitação de 35 lotes de linhas de transmissão de energia em 17 Estados – incluindo toda a região Sul – com investimentos de R$ 12,8 bilhões. O Ministério dos Transportes relacionou projetos de concessões em rodovias, ferrovias e portos.  Veja, a seguir, os projetos que contemplam o Sul nos modais rodoviário e portuário. 

Rodovia
– Concessão de trecho da BR-101 (211 quilômetros), entre Paulo Lopes e São João do Sul (SC). 

Portos
– Prorrogação, por 25 anos, do contrato do terminal Portuário de Santa Catarina, em São Francisco do Sul: R$ 138 milhões em investimentos. 

– Leilão para implantação do terminal portuário para movimentação de veículos no Porto de Paranaguá (PR): R$ 72 milhões em investimentos. Leilão previsto para o 1º trimestre de 2018.

– Leilão para implantação do terminal portuário para movimentação de celulose no Porto de Paranaguá (PR): R$ 102 milhões em investimentos. Leilão previsto para o 1º trimestre de 2018.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: