Faturamento da indústria aumenta 0,7% em janeiro

CNI ainda não vê sinais claros de recuperação

Por Agência Brasil

Faturamento da indústria aumenta 0,7% em janeiro

O faturamento da indústria cresceu 0,7% e o rendimento médio do trabalhador aumentou 0,6% em janeiro de 2017, na comparação com dezembro de 2016. Os números são dessazonalizados, ou seja, livres das influências características dos períodos. As informações foram divulgadas pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), através da pesquisa Indicadores Industriais. O nível de utilização da capacidade instalada também teve bom desempenho, com alta de 0,5%, alcançando 77,2% em janeiro deste ano.

Os demais indicadores, no entanto, foram negativos. As horas trabalhadas na produção caíram 0,9% e o emprego recuou 0,5%. A massa real de salários teve queda de 1,5%. Para a CNI, os dados indicam que ainda não há sinais claros de recuperação da atividade industrial. 

Na comparação com janeiro de 2016, todos os indicadores continuam negativos. O faturamento real teve queda da 6,9%, as horas trabalhadas na produção caíram 2,1%, o emprego recuou 4,7%, a massa real de salários diminuiu 5,4% e o rendimento médio real do trabalhador encolheu 0,6%.

Produção industrial
A produção industrial do Brasil começou 2017 com alta mensal em relação aos mesmos dias do ano anterior, após 34 meses consecutivos de queda. Os dados foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e mostram que a produção cresceu 1,4% em janeiro de 2017 em relação a janeiro de 2016, mas caiu 0,1% em relação a dezembro de 2016. Em 12 meses, a produção industrial acumula uma retração de 5,4%, variação negativa que vem perdendo intensidade desde junho de 2016, quando chegou a -9,7%

Nos últimos dois meses de 2016, a produção havia acumulado alta de 2,9%. O resultado fez com que a média móvel trimestral de outubro, novembro e dezembro de 2016 apontasse expansão de 0,5% da produção. Com os dados divulgados, a média dos resultados de novembro e dezembro de 2016 e janeiro de 2017 subiu para 0,9%.



leia também

Dilma diz que sofreu segundo golpe de Estado na vida - Ex-presidente afirmou que recorrerá contra o que chamou de “fraude”

A balança da produção está mudando – de novo - Karen Reddington, CEO da FedEx Ásia Pacífico, avalia mapa global da indústria

A China fez o que o mercado queria - Corte de juros era algo esperado, mas ainda não é suficiente para ajudar na recuperação econômica, afirmam especialistas

A estabilidade do funcionalismo público é mesmo necessária? - O tema é particularmente importante no contexto de ajuste fiscal, avalia Zeina Latif

A punição virá das gôndolas? - A tentativa de boicote às marcas do Grupo J&F

A responsabilidade do Congresso - O cuidado com os recursos públicos e o respeito à restrição orçamentária deveriam ser valores da casa, opina Zeina Latif

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: