Agemed planeja expandir receita com franquias

Operadora de saúde catarinense deve abrir 30 novas agências neste ano

Por Marcos Graciani

graciani@amanha.com.br

Agemed planeja expandir receita com franquias em 2017

No ano passado, nada menos que 1,4 milhão de brasileiros deixaram de ter plano de assistência médica. Enquanto o setor acumulou retração de 2,8%, a catarinense Agemed (foto) cresceu 67% e ultrapassou a marca de 210 mil beneficiários no Paraná, em Santa Catarina, no Rio Grande do Sul e no Mato Grosso. Criada para atender inicialmente os funcionários da joinvillense Tigre, em 1998, hoje a receita é estimada em cerca de R$ 420 milhões. Em 2017, a meta da companhia é repetir a dose de crescimento. A principal estratégia será o sistema de franquias. A companhia pretende abrir ao menos 30 unidades nesse formato. 

Responsável pela implantação de franquias do sistema comercial da Agemed, a Vanquisher Franchising tem planos de chegar na região Sudeste ainda no primeiro semestre, pois há negociações avançadas em Belo Horizonte (MG), Vitória (ES) e interior de São Paulo. A primeira comercialização foi feita em Alta Floresta (MT). Nesse início de ano, a companhia também concluiu as transações em mais três pontos: Santa Maria (RS), São Bento do Sul (SC) e Canoinhas (SC). No Sul, a Agemed estima que há espaço para mais 10 agências. As cidades mais prováveis estão na Serra e Noroeste do Rio Grande do Sul, além do Norte e Oeste do Paraná.   

O sistema comercial pretende atrair investidores pela remuneração, pois o franqueado recebe uma porcentagem sobre o total da carteira administrada pela Agemed na localidade onde atua. "No modelo tradicional, a cada mês o empreendedor começa os negócios do zero precisando fazer uma nova venda para garantir o faturamento. No nosso caso, as vendas realizadas no mês são somadas àquelas realizadas desde o início do negócio. A participação na receita de cada nova venda é somada a um volume formado pela participação nos contratos anteriores", explica Fábio Nunes, diretor de expansão da Vanquisher. 

 O investimento varia de acordo com o porte do município atendido. O cálculo leva em conta o número de moradores da região e a fatia da população que possui plano de saúde. Para uma cidade de 100 mil habitantes onde 30% deles possuísse o benefício, por exemplo, a taxa do franqueado seria de R$ 135 mil. O retorno previsto é de três anos.  



leia também

A batalha da saúde na ótica do Moinhos - Mohamed Parrini, do Hospital Moinhos de Vento, diz que a chegada de grandes players coloca o setor “em ebulição"

A responsabilidade da gestão é ainda maior na saúde - Para Pizzato, da Unimed POA, zika é reflexo de falta de planejamento

Catarinense Agemed chega ao Paraná - Empresa terá unidade comercial em Curitiba

Catarinense Voe Ideias busca consolidação no RS - Empresa promoverá ações de marcas nacionais interessadas no Estado

Diretoria da Unimed Grande Florianópolis pede demissão - Plano de saúde catarinense atravessa um momento de crise

comentarios




Danielle

Uma pena que a credibilidade não está expandindo. Médicos estão descredenciando por falta de repasse devido às dificuldades da rede credenciada de laboratórios. Estou tendo um experiência negativa como usuária.

Comentar

Adicione um comentário: