Sul deverá unificar inspeção de produtos de origem animal

Mercadorias vistoriadas em um Estado não precisarão ser verificadas novamente em outro Estado que faz parte do Codesul

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Sul poderá unificar inspeção de produtos de origem animal, anunciam governadores da região em reunião do Codesul, em Cascavel, no Oeste do Paraná

Na primeira reunião de 2017 do Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul (Codesul) nesta quarta-feira (8), no Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR), os governadores Beto Richa (Paraná), Raimundo Colombo (Santa Catarina), José Ivo Sartori (Rio Grande do Sul) e Reinaldo Azambuja (Mato Grosso do Sul) assinaram resolução que prevê unificar a inspeção de produtos de origem animal. Com isso, o serviço pode ser realizado por servidores estaduais e empresas credenciadas para essa finalidade. A proposta deve ser submetida à apreciação das assembleias legislativas. Se aprovada, dará permissão aos Estados de reconhecimento bilateral na fiscalização de produtos de origem animal. Isso significa que um produto vistoriado em um Estado não precisaria novamente ser verificado em outro Estado que faz parte do Codesul, como exige o Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-Poa).

“O mais importante da nossa reunião é a integração dos quatro Estados para que a gente faça um trabalho em conjunto. Temos um braço importante de desenvolvimento que é o BRDE, através de financiamentos e de políticas específicas para o desenvolvimento”, disse Colombo. O governador catarinense contou que o objetivo da resolução é unificar os mercados entre os Estados do Sul que necessitam de inspeção sanitária. “O que é produzido no Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul poderá ser vendido em qualquer um dos três Estados com licenças estaduais. Essa medida ainda consegue favorecer bastante e fortalecer as pequenas e médias empresas do setor do agronegócio em relação à sanidade animal”, afirmou.

Durante o encontro, foi discutida a flexibilização das condições de crédito ao Mato Grosso do Sul. Em seguida, foi assinado o documento que altera a política operacional do BRDE no Mato Grosso do Sul. “O Estado sul-mato grossense não participa do capital do banco, mas está na região geográfica do país que conta com o Centro-Oeste. Havia uma exigência de que pelo menos 50% do financiamento fosse destinado à compra de bens e serviços da região Sul. Com isso, diminuímos essas exigências e desburocratizamos a operação, porque há integração regional, e os produtores daquele Estado, automaticamente, sem formalismo, têm a interação com as indústrias dos três Estados do Sul”, explicou Odacir Klein, presidente do BRDE. 

Financiamentos
As outras resoluções assinadas durante reunião foram para aprovação da alteração no Regimento Interno do BRDE e da revisão e consolidação do orçamento de despesas administrativas do banco em relação ao exercício de 2016 e proposta orçamentária para 2017. Na oportunidade, também foram assinados contratos de financiamentos do BRDE e entregues cheques a empresas do Paraná e Mato Grosso do Sul. As companhias – dos setores de agronegócio, gastronomia, laticínios, máquinas e equipamentos agrícolas e cooperativista – receberam aporte financeiro de R$ 11 milhões por meio de financiamento do banco. A região Oeste do Paraná tem participação significativa nas operações do BRDE. De 2011 a 2016, o banco assinou perto de 4 mil contratos na região, que concentra 44 municípios, totalizando R$ 1,76 bilhão em financiamentos. Somente na microrregião de Cascavel, por exemplo, foram liberados neste período R$ 628,5 milhões.  “Foram distribuídos financiamentos para muitas empresas e cooperativas, que têm um papel central no desenvolvimento da nossa economia, mostrando a solidez e a importância do nosso BRDE,”, declarou o governador Beto Richa. Uma das companhias que assinou contrato com o banco é a La Mucca do Brasil, que tem seis unidades no Paraná. A empresa, que produz queijo, leite pré-beneficiado e derivados, recebeu financiamento de R$ 2,5 milhões, que será utilizado para reforma, ampliação e modernização da unidade localizada no município de Quatro Pontes.  Duas empresas do Mato Grosso do Sul, localizadas nos municípios de Tacuru e Rio Brilhante, também receberam financiamento de cerca de R$ 3 milhões com recursos do BRDE.

Na reunião, Sartori reafirmou o papel estratégico do Mercosul e convidou os governadores a participarem do Encontro Brasil Sul e Argentina, no dia 31 de março, em Porto Alegre, para debater novas alternativas de integração. "Buscaremos juntos conseguir novos mercados", afirmou Sartori, lembrando do trabalho iniciado com a missão governamental do Rio Grande do Sul à Argentina em 2016.

O Codesul
O Conselho de Desenvolvimento e Integração Sul foi criado em 1961 por meio de um convênio entre os estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Em 1992, o Mato Grosso do Sul passou a integrar o conselho. O objetivo é de encontrar alternativas aos desequilíbrios regionais, com concentração do crescimento no centro do país.


leia também

Beto Richa deseja retomar Sudesul - No Codesul, governador do PR propõe integração dos Estados da região

BNDES: economia deve avançar no segundo semestre - Previsão foi feita por Maria Silvia Marques em visita ao BRDE

BRDE amplia financiamento para municípios - Banco também assinou acordo de cooperação com a FGV

BRDE apresenta lucro líquido recorde em 2015 - Banco de fomento da região Sul registra ganho de R$ 262,9 mi e prevê R$ 3,8 bi em novas operações de crédito para 2016

BRDE apresenta propostas para ampliar atuação no Sul - Presidente Michel Temer recebeu Odacir Klein e diretores do banco

BRDE apresentará Criatec 3 em Santa Catarina - O fundo possui patrimônio de R$ 202,5 milhões

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: