Oi lança nova plataforma de segurança em nuvem no Sul

Atualmente, 30% da receita da operadora vem do B2B

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Cátia Tokoro, diretora Nacional de Negócios B2B da Oi

A Oi lançou nesta quarta-feira (11), em Porto Alegre, sua solução voltada para a gestão, controle e proteção de aplicações em nuvem, o Cloud Security Oi. A nova solução é parte da estratégia de negócios da companhia de seguir apostando em serviços de TI e SVAs para as grandes empresas.  Em parceria com a Cisco, o Cloud Security está baseado na plataforma Cloud Lock e permitirá o monitoramento das aplicações em nuvem, com possibilidade de criação de políticas de uso e criptografia, pelo próprio cliente.  Atualmente, 30% da receita da Oi vem do B2B (grandes corporações e MPEs). E mais da metade (60%) da receita do segmento coorporativo vem de TI, SVAs e dados.

“Hoje, por mais que as empresas invistam na segurança de sua rede interna, é cada vez maior o número de aplicações que rodam na nuvem e, apesar dessa infraestrutura estar protegida, a utilização com múltiplos usuários via múltiplos dispositivos é de difícil controle e representa um risco significativo para o negócio das empresas. A preocupação não é mais só com ataques de hackers, mas também com má utilização e perda de dados estratégicos pelos próprios usuários”, diz Cátia Tokoro (foto), diretora Nacional de Negócios B2B da operadora. 

A plataforma opera com o apoio do Centro de Operações de Segurança da Oi, na sua sede em São Paulo. O principal objetivo do local é proteger as redes de dados dos clientes corporativos contra possíveis ataques cibernéticos. De janeiro a setembro, o número de clientes que utilizam as soluções de segurança da Oi praticamente dobrou. A companhia investiu mais de R$ 100 milhões na gestão da segurança de sua rede e de seus clientes nos últimos três anos. A estratégia da companhia para o setor de grandes empresas é continuar apostando em soluções inovadoras de TI e SVAs. No terceiro trimestre de 2016, a operadora registrou aumento de mais de 22,5% na receita de SVAs e TI em comparação ao mesmo período do ano passado. “A nossa previsão é de continuar com esse crescimento de cerca de 20% ao ano em TI e SVAs”, aposta Cátia. 

leia também

A deficiência que a crise esconde - A profissão de caminhoneiro não desperta o interesse de jovens – e isso pode causar um novo apagão rodoviário

Aeroporto de Curitiba é o melhor do país - Terminal de Porto Alegre ficou em quinto lugar

Aeroportos de Curitiba e Foz do Iguaçu serão privatizados - Governo espera leiloar a concessão no segundo semestre de 2017

Aporte após concessão do Salgado Filho será de R$ 1,7 bi - Terminal de Florianópolis receberá investimento de R$ 918 mi

Codesul projeta criar corredores de infraestrutura - A ideia é criar um caderno com cronograma de ações e valores

Crise da Oi não afeta clientes no momento - Credores e acionistas podem chegar a um acordo sobre a dívida

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: