Vendas de veículos novos caem 20,2% em 2016

Foram emplacados 3,1 milhões de carros no ano passado

Por Agência Brasil

Vendas de veículos novos caem 20,2% em 2016

As vendas de veículos novos caíram 20,2% em 2016 em comparação com 2015. Segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (4) pela Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), foram emplacadas 3,1 milhões de unidades ao longo do ano passado, contra 3,9 milhões de 2015.

Em dezembro, a queda nas vendas ficou em 19,4% em relação ao mesmo mês de 2015, com a comercialização de 298,9 mil veículos. O resultado representa, no entanto, um crescimento de 14,3% sobre novembro, quando as vendas ficaram em 261,4 mil unidades. Os ônibus e caminhões foram o setor com maior retração ao longo do ano passado. Foram vendidos em 2016 13,6 mil ônibus, 32,9% menos do que em 2015, e 50,2 mil caminhões, queda de 29,9% em relação ao ano anterior.

Os automóveis tiveram queda de 20,4% nas vendas em 2016, com a comercialização de 1,6 milhão de unidades, contra 2,1 milhões do ano anterior. Em dezembro, foram emplacados 170 mil carros, o que significou alta de 14,3% sobre novembro e queda de 12% em relação ao mesmo mês de 2015. As motos tiveram retração de 21,6% nas vendas no ano passado na comparação com 2015. Foram vendidas 998 mil unidades em 2016, contra 1,2 milhão no ano anterior. O resultado de dezembro, com a venda de 83,6 mil unidades, representa uma redução de 36,2% em relação a dezembro de 2015.


leia também

A era dos carros sem “charme” - Será esta a característica dos veículos elétricos e dos autodirigidos?

A sua marca vai sobreviver aos Millennials? - Unilever e JP Morgan contam o desafio de lidar com jovens consumidores

A superfície e as profundezas da economia - Retomada poderá ser difícil dada a situação financeira empresarial

As regras do luxo que prometem transformar metal em ouro - Em seu novo livro, Susana Campuzano propõe um modelo de construção de marcas, produtos e serviços de primeira classe

Atendimento soviético - Já cansei de sugerir à tripulação: desburocratizem e vendam mais. O que ouço é um deboche: ordens são ordens

BC: crescimento da inadimplência é gradual - Uso do crédito rotativo, cujas taxas de juros tem subido, deve ser evitado

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: