Brasileiro prefere mudar de emprego para ficar mais perto de casa

Pesquisa mostra trabalhadores de Porto Alegre e Curitiba como os menos dispostos à mudança

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Brasileiro prefere mudar de emprego para ficar mais perto de casa

A Pesquisa Mobilidade Alelo, realizada pela Alelo em parceria com o Ibope Conecta, revela que um em cada cinco brasileiros mudaria de emprego para trabalhar mais perto de casa. E mesmo que fosse para ter um salário menor ou para assumir um cargo inferior. Nada menos que 22% dos entrevistados afirmam que com certeza mudariam de emprego e outros 43% dizem que talvez fariam isso. Salvador é a capital que tem o maior índice de trabalhadores que optariam pela mudança (29%). Rio de Janeiro vem em segundo lugar com 28%. Na sequência estão São Paulo com 24% e Belo Horizonte com 23%. Seguem empatados Curitiba, Recife e Brasília (todas com 20%). 

Goiânia e Porto Alegre são as capitais onde a opção menos agrada, pois 42% das pessoas afirmam que não mudariam de emprego mesmo que o local fosse perto de casa. Na sequência vem Recife (40%), Curitiba (38%), Brasília (35%), São Paulo (33%), Salvador (32%), Rio de Janeiro (30%) e Belo Horizonte (29%). “Um funcionário insatisfeito pode interferir diretamente no fluxo de uma companhia. Em muitos casos, as pequenas ações do RH podem fazer toda a diferença na rotina de um trabalhador, por esse motivo a Alelo acredita que os dados desse estudo podem provocar discussões saudáveis nas empresas”, destaca André Turquetto, diretor de marketing e produtos da Alelo. 

Sobre a pesquisa
A pesquisa Mobilidade Alelo foi realizada pelo Ibope Conecta, por meio de entrevistas on-line, com 2.450 pessoas, sendo 48% homens e 52% mulheres, todas economicamente ativas, com uma idade média de 36 anos e residentes em 9 capitais – São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Curitiba, Salvador, Brasília e Goiânia. O objetivo do estudo é entender os hábitos de utilização de transporte dos trabalhadores brasileiros para ir e voltar do trabalho. Atualmente, 64% dos trabalhadores brasileiros ficam no escritório o dia inteiro. 


leia também

A necessidade de controlar a internet nas empresas - O mau uso pode causar até mesmo demissão por justa causa

As empresas precisam valorizar a ética - A falta de um documento que liste regras pode trazer problemas para a gestão

As novas carreiras do marketing digital - Estatísticos e engenheiros podem se beneficiar na área

Carta une Federações de Indústrias do Sul - 1º Fórum Sul-Brasileiro de Relações do Trabalho debateu reforma

CNT revela defeitos na maioria das rodovias - Entidade calcula que seria necessário aportar R$ 292 bilhões na malha

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: