Fiergs: greve nas aduanas vai parar a economia

Entidade analisa perdas causadas pela paralisação dos fiscais aduaneiros

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Fiergs analisa perdas causadas pela paralisação dos fiscais aduaneiros

No mínimo há seis meses o Rio Grande do Sul vem sofrendo prejuízos pelo movimento de paralisação dos fiscais aduaneiros, agora agravado pela significativa intensificação do direcionamento de mercadorias para o canal vermelho. "Várias indústrias já estão reduzindo a produção, e outras irão antecipar ou adotar o sistema de férias coletivas, considerando ainda a demissão de trabalhadores. É a economia que está parando, não só diante da crise nacional, mas pelo grevismo dos funcionários", alertou Cezar Müller, coordenador do Conselho de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Concex) da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs). Müller se reuniu na tarde desta segunda-feira (12) com mais de 40 empresas exportadoras e importadoras, quando apresentou a gravidade da situação. “Estamos sendo prejudicados pelo movimento que atrasa a liberação das mercadorias”, enfatizou. 

A entidade, dentro de dois dias, terá em mãos um levantamento detalhado de prejuízos e necessidades das indústrias de medidas de ajuste. Segundo Müller, existem casos de matérias-primas e insumos importados que não estão chegando às fábricas, assim como produtos finalizados que não conseguem chegar ao seu destino conforme os contratos firmados. A utilização impositiva do canal vermelho – a conferência física e documental da mercadoria, com abertura de contêineres – no mínimo, atrasa sobremaneira os embarques. "Além dos prejuízos internos imediatos, a nossa imagem no exterior está sendo atingida mais uma vez, com reflexos que virão em pouco tempo," acrescentou Müller. 

A federação já se manifestou às autoridades do governo federal e irá renovar o posicionamento. Também estão sendo analisadas medidas judiciais, que podem ser feitas por intermédio da entidade, por meio de associações comerciais e industriais, sindicatos industriais ou pelas empresas individualmente.



leia também

Fiergs emite o primeiro ATA Carnet do Brasil - Documento isenta de impostos produtos para feiras internacionais

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: