Cooperativas do PR devem encerrar 2016 com receita superior a R$ 70 bi

Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, em Curitiba, discutiu desafios do setor

Da Redação

redacao@amanha.com.br

Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, em Curitiba, discutiu desafios do setor

O cooperativismo paranaense continuou crescendo neste ano. “Em 2016, as cooperativas do Paraná vão superar a marca de R$ 70 bilhões de movimento econômico, com crescimento de quase 17%, quando comparado a 2015. Isso graças ao trabalho das nossas cooperativas, seus dirigentes e cooperados”, anunciou José Roberto Ricken, presidente do Sistema Ocepar, nesta sexta-feira (9), em Curitiba, no Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses (foto). Participaram, ao todo, mais de 2 mil representantes de 82 cooperativas paranaenses de diferentes ramos. 

Apesar do aumento no faturamento, Ricken informou que as receitas líquidas do setor não deverão crescer na mesma proporção do ano passado. “Isso é um reflexo da queda de renda, elevado custo de logística, aumento dos encargos financeiros e elevação da tributação”, explicou. Segundo o presidente do Sistema Ocepar, o cooperativismo tem atraído o interesse de um contingente maior de pessoas. “Estamos chegando próximo a 1,5 milhão de cooperados”, ressaltou. Ainda de acordo com ele, o setor é responsável pela geração de mais de 85 mil empregos diretos e de 2,8 milhões de postos de trabalho indiretamente. “Quase 30% da população do Paraná tem nas ações das cooperativas o refúgio para suas atividades individuais”, lembrou.

Ele declarou ainda que um dos diferenciais do cooperativismo paranaense é o planejamento das atividades, feito em conjunto com as bases. “Se há uma pequena diferença entre o cooperativismo do Paraná em relação ao de outros Estados, ela está no fato de que aqui, ao longo dos anos, sempre houve planejamento. O PRC 100, nosso atual plano, representa a continuidade disso”, enalteceu. “Nosso planejamento estratégico tem como meta atingir R$ 100 bilhões de faturamento ao ano e vem sendo implantado com firmeza e determinação, com o apoio imprescindível dos presidentes e colaboradores de todos os ramos do cooperativismo”, ressaltou. 

leia também

A China rural não existe mais - A mudança do modelo de crescimento econômico continuará elevando as demandas do país mais populoso do mundo

A transformação digital da agricultura - Tecnologia pode melhorar rendimento de produtores

A vida de uma organização exemplar - Como a Coamo virou um modelo de cooperativismo a ser seguido

Atuação em rede que produz melhores resultados - Para Luiz Vicente Suzin, presidente da Ocesc, a intercooperação dá independência ao sistema cooperativista

Coamo atinge faturamento de R$ 11,4 bilhões em 2016 - As sobras destinadas aos cooperados totalizam R$ 338,2 milhões

Coamo fatura R$ 10,7 bilhões em 2015 - A maior cooperativa do Sul cresceu 22%

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: