O veículo do crescimento

Conheça a história da Agrale, contada no livro “100 Marcas do Rio Grande”

O veículo do crescimento

No Brasil e no mundo, a Agrale desponta como uma referência para quem busca soluções de transporte inovadoras e competitivas. Há mais de 50 anos, a companhia de Caxias do Sul imprime sua marca em uma gama cada vez mais vasta de veículos de todos os tipos – desde a tradicional linha de tratores até os mais arrojados modelos de caminhões, chassis, motores e utilitários. Em comum, as diferentes linhas trazem o DNA da Agrale – uma marca movida pelo pioneirismo, a qualidade, a sustentabilidade e, acima de tudo, pela determinação de oferecer produtos que facilitem o trabalho e a vida das pessoas.

Nos primeiros anos, a marca Agrale esteve fortemente ligada ao agronegócio. Antes de se chamar Agrale, aliás, a empresa teve outro nome: nasceu como Agrisa – Indústria Gaúcha de Implementos Agrícolas, em 1962. A marca Agrale só surgiria três anos depois, com a incorporação pelo Grupo Stedile. Pouca gente sabe, mas o nome surgiu de uma adição simples de sílabas – o prefixo “Agra”, que fazia referência ao mercado agrícola, uniu-se ao sufixo “le”, uma sutil referência às últimas letras do sobrenome de Francisco Stedile. O mesmo padrão seria aplicado a outras subsidiárias, como a Lavrale. Mas o futuro reservava à Agrale um campo muito mais vasto do que o agronegócio.

A chegada de Francisco Stedile provocou mudanças importantes na estrutura organizacional e na visão estratégica da Agrale. Com ele, a empresa entrou em um período de crescimento exponencial e muitas inovações. Em 1968, foi lançado o Agrale 415, o primeiro trator 100% fabricado no Rio Grande do Sul – e uma máquina que abriu portas para o processo de industrialização da agricultura familiar no Brasil. Mas o foco nos veículos agrícolas logo seria ampliado: com o passar dos anos, a Agrale se firmaria como uma marca de veículos. Em 1982, por exemplo, lançou seu primeiro caminhão, o Agrale TX 1100. Um ano depois, inovou com uma linha de motos – que seria descontinuada pouco mais de duas décadas depois.

A transformação se consolidou na década de 1990, com a instabilidade econômica que tomou conta do país. A inflação galopava, o campo parecia esvaziar e as grandes cidades inchavam. Mas a Agrale identificou uma boa oportunidade em meio a tantas dificuldades: por que não desenvolver produtos também para o transporte urbano? Foi assim que nasceu o seu primeiro chassi para micro-ônibus, em 1996. Depois dele, viriam muitos outros modelos de ônibus cada vez mais confortáveis e confiáveis, alinhados às novas necessidades dos centros urbanos. A Agrale deixava de ser uma marca essencialmente agrícola e se tornava, assim, uma referência em transportes dos mais variados tipos. Hoje, mais de 80% das vendas da marca se concentram nas áreas de veículos. Quanto à linha de tratores agrícolas, ela continua sendo importante, é claro – mas responde por não mais do que 20% de tudo que a marca oferece ao mercado.

De Caxias do Sul para o mundo
A marca Agrale tem uma personalidade incomum. Atua no disputadíssimo segmento de veículos, onde transitam algumas das maiores empresas do mundo. Mas se mantém em uma posição estratégica única, que nenhum concorrente consegue igualar sozinho. Seus veículos são mais do que meios de transporte: são ferramentas de trabalho que facilitam a vida do usuário nas mais variadas condições. Com jipes, tratores,  chassis e caminhões, a Agrale leva sua marca a pequenas e grandes cidades, a estradas boas e ruins, a lavouras e até mesmo a zonas de atuação militar. Cada produto procura trazer a praticidade e o conforto dos veículos urbanos, somados à confiabilidade e competitividade de quem nasceu no campo e cresceu cidade adentro. Uma fórmula de sucesso que vem conquistando a simpatia de diferentes clientes em todo o mundo.

Os primeiros passos no caminho da internacionalização foram dados já no início dos anos 1980. Nos anos seguintes, o processo de abertura para o mundo continuou por meio de parcerias de âmbito global – como a alemã Deutz e a norte-americana Navistar. Com elas, a Agrale expandiu sua presença na América Latina, na África e até no Oriente Médio. E o mais importante: a expansão para novas fronteiras foi feita com qualidade. O caráter cosmopolita e globalizado da marca, aliado a seu pioneirismo sustentável, levou a um alto nível de reconhecimento internacional – o que possibilitou sua apresentação na Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável Rio+20, em 2012, ocasião em que comemorava meio século de existência.

Durante toda essa trajetória, o pioneirismo e a pujança industrial acompanharam a responsabilidade social e ambiental da Agrale. Cada produto da empresa é resultado de uma cadeia de processos cuidadosamente desenhada para evitar danos às comunidades e ao meio ambiente – como o gerenciamento de resíduos sólidos, de emissões de dióxido de carbono e de efluentes. Dessa característica sustentável vieram algumas das principais inovações da Agrale. Entre eles, o primeiro trator nacional alimentado a biodiesel e o Agrale Hybridus, ônibus movido a diesel e energia elétrica que proporciona uma redução de quase 20% na emissão de poluentes. A sustentabilidade ambiental anda de mãos dadas com a responsabilidade social. Por isso que a Agrale também conta com projetos como o Alimentação Solidária, que doa cestas básicas para famílias em situação de risco, e o Projeto Girassol, que desenvolve atividades educativas e recreativas para crianças carentes. A empresa também promove campanhas do agasalho, doações de brinquedos e incentivos a instituições filantrópicas locais – cumprindo o ideal de crescer em sintonia com as comunidades em que está inserida.

Marca reconhecida
A identidade visual da Agrale – parte integrante de seu conceito de marca e espelho de seus valores estratégicos – não sofreu grandes alterações conceituais desde a fundação, em 1962. O logotipo traz um triângulo que traduz os ideais de força, solidez e dinamismo. A cor vermelha representa a busca incessante pela liderança e novas conquistas, enquanto o itálico tipográfico expressa velocidade. São esses ideais que perpassam todas as ações de marca da Agrale. Para se manter ao alcance dos olhos (e da memória) do cliente, a empresa investe não só em iniciativas de publicidade em mídias tradicionais e digitais, mas também em feiras e eventos, além de ações específicas. Em 1992, por exemplo, a companhia lançou o Dossiê 50 Anos Agrale, uma publicação que retratou os momentos mais ilustres da história da marca. Além disso, houve uma série de eventos comemorativos com homenagens às personalidades que marcaram a história da empresa.

O vanguardismo levou a Agrale a uma posição peculiar no mercado de veículos e utilitários: a de maior marca brasileira do setor. Uma conquista que se comprova em prêmios como o Top of Mind, da Revista AMANHÃ, o Gerdau Melhores da Terra 2013 e o Idea Internacional Design Excellence Awards 2012.  Os frutos gerados em mais de 50 anos vicejam em uma receita cada vez maior.


leia também

comentarios


Seja o primeiro a comentar a notícia!



Comentar

Adicione um comentário: